"No lugar do Enderson, estaria reclamando da mesma forma", diz Cuca sobre VAR em pênalti no Ceará

Comentaristas de arbitragem também reclamaram do lance de Tiago Volpi em Felippe Cardoso

Legenda: O árbitro recebeu recomendação de conferir a jogada na tela, mas preferiu não o fazer
Foto: Foto: Rubens Chiri/São Paulo

O Ceará fez bom jogo na derrota por 1 a 0 deste domingo (18), no Morumbi, pela estreia de Juanfran e de Daniel Alves no São Paulo, o último sendo o autor do único gol na partida. Apesar da grande festa, um lance deixou dúvidas de ambos os lados e reclamações pelo Brasil. Aos 12 minutos da segunda etapa, Tiago Volpi esbarrou em Felippe Cardoso na grande área, impedindo o atacante de concluir o drible. Porém, o árbitro Gilberto Rodrigues Castro Júnior não marcou nada e nem conferiu o lance no monitor do VAR, que recomendou a checagem.

Em coletiva após a partida, o próprio técnico do São Paulo, Cuca, comentou que a marcação era subjetiva e que ele mesmo contestaria se fosse contra a sua equipe, como o treinador do Ceará Enderson Moreira fez.

"Eu não vi o lance pela televisão, vi só no campo. Me lembro que o Liziero tinha a bola dominada, errou o passe, e o Ceará jogou pro Felippe Cardoso, que tentou encobrir o Volpi. O Volpi saiu pra abafar, e quando a bola passa tem o choque. Não sei se é passível de falta ou não. Eu, no lugar do Enderson, estaria reclamando da mesma forma. Lance interpretativo, poderia ter chamado o VAR ou não ter dado, como fez", disse Cuca.

O ex-árbitro e comentarista de arbitragem Sálvio Spinola avaliou a decisão do juiz como indevida, devendo revisar o lance no monitor.

"Para mim, pênalti. A bola não está disponível para o Tiago Volpi. Ele é driblado. Isso é uma ação imprudente. O árbitro deveria ir ao monitor e veria que era uma ação faltosa e marcaria o pênalti", analisou Sálvio.

A derrota na 15ª rodada deixou a equipe cearense em 11ª posição na tabela do Brasileirão, com 20 pontos.

O Alvinegro de Porangabuçu encara o Flamengo, às 19h do domingo (25), na Arena Castelão.