Movimento Forte Futebol, com Ceará e Fortaleza, se reúne para dar contraproposta à Libra

O evento está previsto para essa segunda-feira (16), no Rio de Janeiro

Taça do Brasileirão na frente da sede da CBF, no Rio de Janeiro
Legenda: A CBF deve organizar a Série A do Brasileiro até o fim de 2024
Foto: divulgação / CBF

O grupo Forte Futebol, formado por clubes como Ceará e Fortaleza, se reúne nesta segunda-feira (16) para debater uma contraproposta à Libra, a liga que busca reorganizar a Série A. O evento será no Rio de Janeiro. A informação é do ge.com e foi confirmada pelo Diário do Nordeste.

>Veja a classificação atualizada da Série A

O movimento tenta um equilíbrio maior na divisão das receitas dos direitos de transmissão do Brasileirão, diminuindo a disparidade econômica entre as equipes. Apesar disso, gigantes do futebol brasileiro como o Corinthians, Palmeiras e o Flamengo apresentam outras condições de distribuição.

Hoje, além de Ceará e Fortaleza, fazem parte do grupo as equipes do América-MG, Atlético-GO, Athletico-PR, Avaí, Coritiba, Cuiabá, Goiás e Juventude. Uma parte dos times da Série B também apoia a iniciativa: Brusque, CRB, CSA, Chapecoense, Criciúma, Londrina, Náutico, Operário-PR, Sampaio Corrêa, Sport, Tombense e Vila Nova.

Vale ressaltar que as decisões dessa discussão nacional terão impacto de fato a partir de 2025, quando o contrato atual for encerrado. Hoje, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) é responsável pela gestão do Brasileirão e tem vínculo de transmissão com a Rede Globo até 2024.

Divisão de receita proposta pela Libra

  • Valor igualitário: 40% 
  • Desempenho esportivo: 30% 
  • Exposição do clube: 30% 

 Divisão de receita proposta pelo Forte Futebol 

  • Valor igualitário: 50%
  • Desempenho esportivo:  25%
  • Exposição do clube: 25%

No modelo atual, os clubes do Brasileirão recebem receita por conta da transmissão. A distribuição envolve valores para a exibição na TV Aberta, TV Fechada e Pay-Per-View. O total é acrescido de montantes gerados pelas placas estáticas dos jogos e dos direitos internacionais de transmissão.

A criação da Liga

Com a proximidade do fim de contrato de transmissão do Brasileirão, os clubes buscaram criar uma liga própria, que assumiria a função da CBF na Série A e seria responsável pela comercialização do “produto futebol”, o que permitiria a criação de mais receita aos times, se aproximando dos modelos internacionais, como a La Liga (Campeonato Espanhol) e a Premier League (Campeonato Inglês).

Uma ideia embrionária foi iniciada em 2021, mas conflitos de interesse e a falta de um consenso impediam o avanço da proposta. Por isso, equipes se uniram em blocos separados para o debate.

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte