Leão quer aprimorar finalizações para quebrar tabu contra o Timão

Sob comando de Chamusca, o Tricolor criou boas chances de gol, mas acabou pecando nas finalizações. Melhorar aproveitamento na definição de jogadas é crucial para voltar a vencer o Corinthians após 15 anos

Legenda: Em 2005, em tarde inspirada de Mazinho Lima. O Tricolor do Pici venceu o Corinthians no Estádio Castelão
Foto: KIKO SILVA

Desde que chegou ao Fortaleza, o técnico Marcelo Chamusca adotou o discurso de poucas mudanças e continuidade no trabalho que vinha sendo desempenhado pelo antecessor Rogério Ceni. É o que, de fato, tem acontecido. Há, entretanto, um aspecto claro que o novo comandante tem a missão de corrigir com urgência: o aproveitamento das finalizações.

Em quatro jogos no comando de Chamusca, o Fortaleza teve uma vitória, dois empates e uma derrota. Marcou e sofreu a mesma quantidade de gols: cinco. Porém, o número de bolas nas redes é bem inferior ao de finalizações, o que mostra que o time tem pecado bastante na hora de definir as jogadas.

Powered by RedCircle

Somando as partidas contra São Paulo, Vasco, Botafogo e Goiás, o Tricolor totalizou 56 finalizações, de acordo com o site SofaScore, especializado em estatísticas futebolísticas. O número equivale a uma média de 14 finalizações por jogo neste período, que é superior a média do time em todo o campeonato, de 8,2.

Das 56 finalizações, o Tricolor acertou o alvo em 24, equivalente a 42%, menos da metade. Um aspecto interessante é que a maioria destas conclusões ocorreram de dentro da área. Foram 39, equivalente a 69%, que mostra que a equipe geralmente tem profundidade de jogo, conseguindo criar condições de chutes de dentro da área do adversário e, consequentemente, mais próximo do gol.

Porém, nos recentes empates contra Vasco e Goiás, foram 33 finalizações ao todo, e o time não saiu de campo com a vitória pelo fraco aproveitamento das oportunidades que foram criadas.

"Faltou um pouco mais de capricho, tivemos chances bem claras para definir o jogo, enfrentamentos diretos com o goleiro adversário. Os números mostram o que foi o jogo", disse o técnico Marcelo Chamusca, após a última partida, contra o Esmeraldino.

Tabu em jogo

Para conseguir um bom resultado, o Fortaleza terá que superar um tabu e tanto. Há 15 anos que o Leão do Pici não vence o Corinthians. O último triunfo foi em 2005, em jogo válido pela Série A do Campeonato Brasileiro daquele ano, que o Tricolor saiu perdendo e conseguiu a virada para 2 a 1, com dois gols de Mazinho Lima. Partida que é bastante lembrada pela torcida tricolor. No dia 3 de julho, 33.516 torcedores estiveram presentes ao Castelão e acompanharam aquele que foi um jogo histórico na memória dos leoninos, o que serve como combustível para que a equipe atual possa, no mesmo palco, repetir o feito e encerrar uma sequência negativa nos encontros recentes com o Timão.

Naquela partida, alguns atletas históricos do Leão estiveram em campo, como o arqueiro Bosco, o zagueiro Ronaldo Angelim, o volante Erandir, o meia-atacante Lúcio Bala e o atacante Rinaldo. Uma geração de ouro tricolor. Desde então, foram 10 jogos disputados entre as equipes, com oito vitórias do time paulista e dois empates.

Dentre as partidas, três competições diferentes foram jogadas. Destaque para o ano de 2008, quando time cearense encarou o Corinthians em quatro oportunidades, duas pela Copa do Brasil e duas pelo Campeonato Brasileiro da Série B.

Por curiosidade, em todas elas o time paulista conseguiu estabelecer mais de dois gols de diferença. Eis a hora de mudar esta escrita.

 

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte