Leão e Vovô fazem confronto direto pela liderança da 2ª Fase

Os ferrenhos rivais, acostumados a uma atmosfera vibrante na Arena Castelão quando duelam, jogarão sem suas massas ao lado, mas o clássico promete por ser um embate direto pela liderança da 2ª Fase do Estadual

Legenda: Leão e Vovô chegam para o duelo no Castelão com campanhas parecidas no Estadual e fazem confronto direto pela liderança da 2ª Fase
Foto: JL ROSA

O Clássico-Rei cearense é sem dúvidas um dos maiores do País e dos mais vibrantes do Nordeste. Quem já vivenciou, seja como torcedor ou no exercício de sua profissão, conhece a atmosfera sem igual, com ambas torcidas lotando as arquibancadas.

Mas este cenário tão lindo de se ver não será possível no reencontro entre Leão e Vovô, às 22h30, na Arena Castelão, pela última rodada da 2ª fase do Campeonato Cearense. Afinal, a presença de torcedores não está liberadas pelas autoridades, tornando o encontro, no mínimo, inusitado, pelo novo normal do futebol.

Entretanto, o Clássico-Rei tem luz própria, uma aura que transcende excepcionalidades como jogar para um Castelão vazio. O jogo promete demais, pelo caráter decisivo do duelo, que terá transmissão da TV Verdes Mares, TV Diário e da Rádio Verdes Mares, além do Diário do Nordeste e globoesporte.com/ce (tempo real).

Separados por apenas um ponto, o Leão com 15 e o Vovô com 14, os times fazem um confronto direto pela liderança. O Tricolor de Aço joga por um empate, enquanto o Alvinegro será líder se vencer.

E a colocação final da 2ª fase não é simbólica, já que pelo regulamento, o time de melhor campanha joga pelo empate em uma possível prorrogação caso o jogo único das semifinais termine empatado. Ou seja, o líder e o vice-líder da 2ª fase nem precisarão vencer para chegar à final do Campeonato Cearense. Aí que entra outro detalhe na classificação: o perdedor do Clássico pode ser ultrapassado pelo Ferroviário, caso o Tubarão da Barra vença o Caucaia mais cedo, às 16 horas. No caso do Ceará, um empate também não serviria, caso o Ferrão vença.

Com isso, o Clássico-Rei, que já é quente por tradição, dará ao vencedor uma vantagem relevante para a sequência do Estadual, e, de quebra, ainda deixará o adversário em desvantagem nas semifinais, pois cairia para 3º com a já citada combinação de resultados.

Se não bastasse os fatores elencados acima, o somatório de pontos da 2ª fase e semifinal será critério de desempate na decisão, com o time de melhor campanha jogando por dois resultados iguais. E tricolores e alvinegros sabem bem que esta vantagem já foi determinante para muitos títulos em finais envolvendo ambos.

Neste cenário, o Fortaleza pode abrir até quatro pontos de vantagem para o Vovô, que por sua vez, pode ultrapassar o Leão do Pici e abrir dois pontos de vantagem.

Empolgação

E se depender da última impressão deixada por Leão e Vovô, o duelo promete ser aberto e bem jogado.

No retorno de ambos aos jogos oficiais depois de 4 meses de paralisação, vitória por goleada: o Ceará bateu o Barbalha por 5 a 0 em seu estádio Franzé Moraes, mesmo placar imposto pelo Fortaleza contra o Guarany de Sobral, no Castelão. Em que pese a fragilidade dos adversários, dois dos mais prejudicados pela paralisação e crise financeira na pandemia, Fortaleza e Ceará sobraram em campo.

Embora as vitórias tenham sido elásticas e pelo mesmo placar, alguns detalhes as diferenciaram e podem pesar no Clássico. As estratégias dos treinadores quanto a utilização de seus jogadores, por exemplo. O estreante Guto Ferreira escalou um Ceará com o que tinha de melhor, poupando apenas um titular, o zagueiro Luiz Otávio.

Já Rogério Ceni segurou todos seus titulares diante do Guarany, dando chance a sua equipe considerada reserva.

Assim, o que pesará mais no Clássico? Os titulares do Ceará com mais minutagem (ou ritmo de jogo), ou o planejamento tricolor, com titulares mais descansados?

Guto Ferreira deve repetir grande parte da formação que iniciou o jogo com o Barbalha, só com Luiz Otávio entrando no lugar de Eduardo Brock. No Fortaleza, Rogério Ceni deve mesclar ainda a equipe caso tenha problemas como na estreia, de nível físico. De confirmado são as entradas de Juninho, David, Romarinho, Yuri César e Wellington Paulista, quinteto que entrou no 2º tempo na quarta-feira e deram outra cara ao time.

O certo é que ambos gostaram do desempenho tático no jogo de estreia e projetaram evolução.

"Independente do placar que foi sendo construído, jamais a equipe baixou a intensidade do jogo. A equipe trabalhou sempre para fazer mais, sempre agressiva. Nos aspectos táticos que nós estávamos trabalhando, teve muita coisa que aconteceu no jogo, teve muita coisa para melhorar", analisou o técnico do Ceará.

Sobre o clássico, Guto destacou o que espera de sua equipe. "A partida é diferente no quesito emocional. Um clássico é sempre diferente e esperamos vencer e terminar na 1ª colocação. Se vai da certo a estratégia, só o jogo vai dizer. Como já fizemos o primeiro jogo, esperamos no segundo estar um pouco mais soltos fisicamente. Esperamos fazer um grande jogo", declarou em entrevista ontem ao Debate Jogada, do Sistema Verdes Mares.

O técnico Rogério Ceni, do Fortaleza, espera seu grupo pronto para o clássico. "Com quatro partidas em 9 dias não se pode escalar os mesmos jogadores. As mudanças na escalação acontecem para chegar em jogos importantes como este, o Clássico, estarmos em nossa melhor condição. Quando tivermos chance de colocar o time que vem jogando mais faremos. Quero montar um time com o melhor que a gente tiver porque é um Clássico, um jogo sempre importante, e que decide o 1º lugar. Nosso objetivo é esse, ficar em 1º e ter as vantagens nas fases finais", declarou o técnico do tricolor.

Jogadores

Outros protagonistas da partida, os jogadores, destacaram a importância de um clássico e mostraram estar atentos ao regulamento do Estadual, destacando a busca por vantagens nas fases finais.

"Nós sabemos da importância do jogo e do que representa terminar na liderança da fase. Estamos todos empenhados em conquistar um bom resultado que nos dará a vantagem para as finais", explicou o meia Vinícius, do Ceará.

O volante Derley, do Fortaleza, foi na mesma linha do adversário. "Será um jogo completamente diferente do que foi este contra o Guarany de Sobral. Vale a liderança e ir para mata-mata com certa vantagem. Vamos defender nossa liderança no clássico. Estaremos preparados para um jogo tão importante, pois todo mundo quer vencer".

Separados por apenas um ponto, Leão marca 15 e Vovô 14, os rivais fazem um confronto direto pela liderança. O Tricolor de Aço joga por um empate, enquanto o Alvinegro será líder se vencer