Jorge Jesus conhece "fantasma" do Flamengo no Maracanã

A uma semana da Libertadores, treinador rubro-negro sente cobrança da torcida, que está cansada de perder vaga nas competições. "É estar preparado para ganhar tudo e também quando as coisas não ocorrem bem", disse ele

Legenda: Jorge Jesus não conseguiu fazer o Flamengo passar pelo Athletico/PR
Foto: Alexandre Vidal/Flamengo

Fim de jogo no Maracanã, na noite da última quarta-feira. Jorge Jesus reúne o time do Flamengo no centro de campo e todos agradecem aos quase 70 mil presentes que viram a derrota por 3 a 1 nos pênaltis para o Athletico/PR, após o empate por 1 a 1 no tempo normal e a consequente queda na Copa do Brasil.

A reação é diferente da esperada. Os rubro-negros vaiam elenco e treinador. Uma semana após seu 1º jogo à frente da equipe, o português conhece a essência de um clube traumatizado com eliminações recentes e já preocupado com as próximas decisões, como o jogo contra o Emelec, na próxima quarta-feira (24), pela Libertadores.

Em muito pouco tempo de casa, o treinador já experimentou os extremos de sentimentos que caracterizam o Flamengo e seu torcedor. Do "Rumo ao Mundial", que contaminou a arquibancada depois da goleada sobre o Goiás, os rubro-negros deixaram o Maracanã com a sensação de que estão presos a um pesadelo que parece não ter fim. Tudo isso em três dias.

A consternação era evidente entre o elenco e funcionários do clube, que deixaram o estádio visivelmente insatisfeitos com o desfecho da trama. Ante quase 70 mil rubro-negros, o grupo escreveu uma nova página de frustrações que marcam a história recente rubro-negra, recheada por eliminações no Maracanã (especialmente na Libertadores) e perda de títulos.

Na saída do vestiário, Jesus estava com cara de poucos amigos, assim como todos os funcionários do clube. "Em um grande clube como o Flamengo, o objetivo é conquistar todos os troféus, mas é estar preparado para ganhar tudo e também quando as coisas não ocorrem bem, como foi hoje. O fato é que não conseguimos ser melhores", analisou o português.

Jesus foi transparente ao reconhecer que o time precisa de ajustes defensivos. Ele não viu o rival ter chances claras de gol, ainda que o time paranaense tenha assustado. O zagueiro espanhol Pablo Marí foi contratado, e Filipe Luís ainda é sonho de consumo para a lateral esquerda.

"Se pensarmos em chances do Athletico, não teve. Acabamos surpreendidos quando estávamos bem posicionados", analisou.