Investimento milionário, Centro de Excelência do Fortaleza deve ficar pronto em 2019

Obras no Pici estão aproximadamente 60% concluídas, com previsão de finalização até o fim de dezembro. Expectativa é que a pré-temporada de 2020 já seja realizada no novo espaço, que contará com estrutura de alto nível

Tradicional sede do Fortaleza, o Estádio Alcides Santos, no Pici, sempre foi a casa do torcedor tricolor. Lá, o Leão fez morada ao longo de parte de sua história, em espaço que guarda lembranças marcantes e forte recordação do passado. O clube, agora, trabalha pesado na reforma do espaço para construção do Centro de Excelência para que o futuro do Pici tenha ainda mais brio, em investimento milionário que deverá ser finalizado ainda no ano de 2019.

Iniciadas em meados de março de 2019, as obras do Centro de Excelência já estão aproximadamente 60% finalizadas, e a previsão é que sejam totalmente concluídas até o fim de dezembro para que o Fortaleza possa iniciar a pré-temporada de 2020 utilizando o novo ambiente.

Mais que um espaço, o Centro de Excelência é um conceito. Espelhado em grandes clubes do Brasil, como Palmeiras e Athletico/PR, o modelo prioriza a construção e instalação de equipamentos modernos para estabelecimento de estrutura de alto nível.

As atenções prioritárias, no momento, estão voltadas para a construção de vestiários, academia e sala de recuperação de atletas, que contará com nova área de fisioterapia, piscina, tanques de crioterapia (as conhecidas bacias de gelo para recuperação muscular) e banheiras.

Outras partes também já estão finalizadas, como fachada, refeitório, sala de preleção, sala de jogos e também o hotel, com capacidade para recebimento de até 30 atletas, local onde o Fortaleza já realiza a concentração para as partidas que são disputadas na capital.

Ao todo, o investimento é de cerca de R$ 2 milhões para que todas as etapas sejam concluídas. Somente com a reestruturação e implantação do novo gramado, o valor aproximado foi de R$ 850 mil, o que não pode ser considerado um gasto alto, levando em consideração a qualidade e o retorno esperado, que já pode ser percebido agora.

O gramado tem padrão elevado e conta também com maquinário adequado para receber a manutenção ideal, ficando sempre em situação melhor do que a utilizada na Arena Castelão, por exemplo. Essa foi uma das exigências do técnico Rogério Ceni para o projeto.

Embora as obras não estejam acabadas, o campo do Pici está pronto, inclusive recebendo alguns treinamentos do Leão e também de times de fora do Estado que vêm para enfrentar o Ceará na Série A.

O Vasco, por exemplo, foi um dos que utilizou as instalações do Alcides Santos, e o técnico Vanderlei Luxemburgo elogiou bastante a estrutura e a qualidade do gramado.

Crivo de Ceni

Não é só dentro de campo que Rogério Ceni tem participação no Fortaleza. Fora das quatro linhas, o treinador também assume papel de protagonismo, inclusive com importante atividade nas obras do Centro de Excelência. O treinador indicou melhorias ao projeto, que foram incorporadas e tornaram a ideia mais robusta de acordo com o pensamento do técnico.

As decisões finais, porém, cabem ao presidente Marcelo Paz, que também tem função primordial para a realização de tudo.

O mandatário leonino é, ao lado de José Rolim Machado, engenheiro e segundo vice-presidente leonino, o responsável pelas ocorrências e também sabe da importância que o equipamento terá para o futuro do clube, considerando que, independentemente dos campeonatos que dispute, o Fortaleza colherá frutos do investimento estrutural que ficará permanentemente à disposição da entidade.

Você tem interesse em receber mais conteúdo de esporte?