Guto critica arbitragem do Clássico-Rei e compara futebol: "quando é handebol não tem condições"

O técnico do Ceará reclamou bastante do árbitro Rafael Traci no empate com o Fortaleza

Guto Ferreira no comando do Ceará
Legenda: Guto Ferreira tem contrato com o Ceará até o fim da temporada de 2021
Foto: Thiago Gadelha / SVM

O técnico Guto Ferreira, do Ceará, criticou a arbitragem após ser vice-campeão cearense neste domingo (23). O time pressionou o Fortaleza, mas não conseguiu abrir o placar e perdeu a taça no empate sem gols na Arena Castelão. Para o treinador, a condução do árbitro Rafael Traci e o VAR tiveram impacto no resultado.

“A gente sai muito bravo, não sai feliz. Mais uma vez a arbitragem teve interferência direta. O VAR chamando na hora que não tinha que chamar e na hora que tinha que chamar não chamou. Dois pesos, duas medidas. A gente não sabe nunca como é essa regra da mão na bola. Contra nós sempre tem, a nosso favor nunca tem”.
Guto Ferreira
Técnico do Ceará

O árbitro Rafael Traci chegou a marcar um pênalti ao Vovô no primeiro tempo, mas mudou a decisão após checar o lance no VAR. Nos minutos finais, o Ceará reclamou de outro pênalti que, segundo o clube, deveria ter sido marcado. Guto ironizou e comparou o futebol com outros esportes.

“Se analisar, eles não tiveram nenhum chute perigoso na nossa meta. Nós empurramos, fomos buscar, criamos situações. Mas houve momento do jogo que teve luta livre, teve handebol, e aí nós não temos como ultrapassar essas novas facetas do futebol. Quando é futebol, a gente consegue jogar. Quando é luta livre, quando é handebol, não tem condições de jogar”, declarou.

O Ceará agora foca na partida contra o Jorge Wilstermann na Bolívia, nesta quinta-feira (27), às 19h15. Duelo marca a última rodada do Grupo C da Copa Sul-Americana e pode decidir a classificação alvinegra à 2ª fase da competição (veja cenários).

Confira entrevista do técnico Guto Ferreira:

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte