Fortaleza se manterá fiel ao seu orçamento para 2022 mesmo com Libertadores

Diretor de futebol e 2º vice-presidente do clube, Alex Santiago garante que Leão não fará loucuras para reforçar elenco para a Libertadores, mas que torcida pode ficar tranquila com a qualidade do grupo que será formado

Jogadores do Fortaleza comemoram com a torcida a 4ª colocação na Série A e vaga direta na Libertadores
Legenda: Jogadores do Fortaleza comemoram com a torcida a 4ª colocação na Série A e vaga direta na Libertadores
Foto: KID JUNIOR

O ano de 2022 do Fortaleza promete ser especial pela disputa da Libertadores da América, mas também desafiador. O clube precisará elevar ainda mais seu nível de competitividade para disputar a maior competição do continente, mas a diretoria do clube garante que não fará loucuras em seu orçamento.

O diretor de futebol e 2º vice-presidente do Tricolor de Aço, Alex Santiago, em entrevista ao Programa Jogada (2º Tempo), da Verdinha, na última sexta-feira detalhou o planejamento tricolor, afirmando que o clube se manterá fiel ao orçamento proposto, sem cair na armadilha de formar um elenco que não pode honrar com os compromissos financeiros.
 
"Se a gente tiver medo da cobrança, ae responsabilidade, estamos no lugar errado. Estamos em um clube centenário, patrimônio da sociedade cearense, com milhões de torcedores e o desafio é imenso. Eu trabalho com muito otimismo, orgulho, mas esporte é esporte, é futebol, a bola pode entrar ou não entrar. Por isso, em 2022 não podemos nos assoberbar com as conquistas, com ano que tivemos e com uma disputa de  Libertadores. Será mais um passo como tantos outros para nosso processo de evolução. Temos que tratar tudo com serenidade, apesar da expectativa da torcida. O Fortaleza não vai fazer loucuras nas finanças para ter jogador A, B ou C. O mercado tem opções e teremos fidelidade de orçamento".

Planejamento

Para 2022, o clube estipulou um orçamento de R$ 141 milhões, sendo de despesa com o futebol profissional em torno de R$ 88,5 milhões. Alex explica como o elenco leonino está sendo formado para ser fiel ao que pretende investir. 

"Temos o do nímero de atletas que precisamos, por posições, o quanto cada um jogou, o número de minutos e tudo gasto do orçamento é em cima desta análise. Como somos um clube com orçamento baixo em comparação a outros clubes da Série A, temos que aproveitar este orçamento da melhor forma possivel. Sabemos das posições nas quais precisaremos investir mais ou investir menos. Fizemos contratos longos com muitos jogadores, 17, além de 2022 e isso dá muita tranquilidade. Temos uma parcial de orçamento para cada função. O torcedor pode esperar que contratações ainda chegarão. Muitos que foram contratados já tinham um pré-contrato antes do fim da Série A".

Até o momento, o Fortaleza contratou 7 jogadores, sendo 3 renovações: do zagueiro Marcelo Benevenuto, do volante Matheus Jussa e do meia Matheus Vargas. Foram contratados o goleiro Fernando Miguel, os zagueiros Wagner Leonardo e Brayan Ceballos, e o lateral-direito Anthony Landázuri.

Marcelo Benevenuto em campo pelo Fortaleza
Legenda: Um dos principais destaques do Fortaleza em 2021, o zagueiro Marcelo Benevenuto foi comprado junto ao Botafogo por R$ 4,5 milhões, valor que o torna a 2ª maior compra da história do clube
Foto: Thiago Gadelha

O diretor também comemorou o novo momento do Fortaleza, de adquirir jogadores, com compras milionárias como as de David e Marcelo Benevenuto.

"Vejo como um processo natural de consolidação do trabalho. O clube passou por várias etapas, buscando jogadores em fim de contrato, depois por empréstimo por um ano. Isso dá orgulho pela trajetória que o clube percorre e é um processo evolutivo.O clube busca assertividade nos investimentos e as compras de David e Benevenuto são exemplos disso. Eles são referências dentro do Fortaleza, pilares de referência técnica. Além de jovens de 25 anos com potencial de revenda. Eles entram na lista de contratações porque são atletas que o Fortaleza adquiriu direitos, são patrimônio do clube, ativos", explicou.

Mapeamento

Alex Santiago explicou como está o mercado para um clube que jogará a Libertadores, ou seja, será um vitrine gigante e de muita visibilidade.

"No Fortaleza, o jogador se adequa a situação financeira do clube e não o contrário. O CIFEC, nosso setor de inteligência para captação de jogadores, trabalha o ano monitorando o mercado. Mesmo com a janela fechada, ou quando não pode mais  inscrever jogadores. O mapeamento é constante e estamos sempre em busca por características pretendidas pelo treinador. As opções são listadas, a sondagem é feita e dentro da viabilidade financeira o jogador é contratado. Tudo é feito dentro da realidade financeira clube. O Marcelo Paz costuma dizer que nosso camisa 10 é o salário em dia e vamos mantê-la. Sobre as negociações, tudo depende da opção de carreira do jogador. Muitos querem visibilidade de uma Libertadores e entendendo a realidade do clube e outros buscam a valorizaçao salarial e querem mais do que o clube pode proporcionar. Mas repito, nosso orçamento é controlado e não faremos locura por jogador".

Visão

Além de muito critério e cuidado para contratações de jogadores, o Tricolor de Aço precisou segurar seus principais jogadores ao longo da espetacular campanha na Série A do Brasileiro.

Presidente Marcelo Paz comemora com a torcida do Fortaleza
Legenda: Presidente Marcelo Paz comemora com a torcida do Fortaleza após vitória diante do Bahia que garantiu o clube no G4 da Série A
Foto: KID JUNIOR

Santiago lembrou que o presidente Marcelo Paz priorizou o ganho esportivo ao financeiro mantendo os destaques do time, que terminou a Série A no G4 e com vaga na fase de Grupos da Libertadores.

"O clube está redondo financeiramente e o Marcelo Paz fez a opção de refutar as propostas que chegaram. Pela nossa posição na tabela, dentr do G6 em todo o Brasileiro, era natural que isso acontecesse, isso é do mercado. Mas o Marcelo manteve o desportivo à frente do financeiro. É de se louvar ver um presidente que não perde o equilibrio e mantém o foco esportivo, um presidente que pensa em bola na rede, em novas conquistas. O lado esportivo sofreria impacto se perdessemos nossos titularese não foram poucos os que tinha sondagens ou propostas. Eles vinham em um rendimento importantissimo. E vale lembrar que um clube de futebol é um clube de futebol. O objetivo é marcar gols, conquistar vitórias e campeonatos. Em um futebol com gestão empresarial, o financeiro toma proporção grande, mas o torcedor quer mesmo é pinotar na arquibancada e comemorar titulos", finalizou ele.

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte