Felipe ressalta importância de seguir pontuando na Série A e avalia confronto contra a Chapecoense

Volante do Fortaleza concedeu entrevista coletiva nesta sexta-feira (15)

Legenda: Volante Felipe é um dos atletas mais indisciplinados da Série A do Campeonato Brasileiro, com oito cartões amarelos em 21 partidas
Foto: Thiago Gadelha / SVM

Após vencer o vice-lanterna da Série A na última quarta-feira (13), o Fortaleza entra em campo contra a laterna Chapecoense. Em má fase na competição, a equipe não vence uma partida desde 11 de setembro, quando venceu o RB Bragantino, pela 20ª rodada. De lá para cá, três derrotas e três empates.

Entretanto, embora a fase do adversário deste sábado (16) esteja vivendo uma má fase na competição nacional, o volante Felipe prega respeito aos catarinense e ressalta a dificuldade de jogar contra a Chapecoense na Arena Condá.

Como a partida do Grêmio foi muito difícil, também esperamos um duelo difícil contra a Chapecoense. A posição, por eles estarem lá embaixo, não reflete o que eles fazem dentro de casa. São três jogos dentro da Arena Condá, contra equipes grandes, e três empates. Então, sabemos que será difícil, mas vamos lá para tentar o resultado positivo.

Cada partida como final

Presente no G4 da Série A em 24 das 26 rodadas disputadas, o Fortaleza busca se manter no pelotão de cima. Para isso, vencer a Chapecoense é fundamental. Para o volante, o grupo encara cada partida "como final", e o pensamento é sempre de "pontuar fora e dentro de casa".

"Restam 12 rodadas faltando, são 12 jogos duros. E cada partida está sendo encarada como final. É manter isso, pontuar fora e dentro de casa, para nos mantermos dentro do G4."

Volante de bom passe e muita marcação, Felipe é destaque do Fortaleza desde 2017. O histórico em campo, no entanto, é prejudicado pelo excesso de faltas e cartões recebidos. Em 21 jogos disputados na atual temporada da Série A, o camisa 15 recebeu oito cartões amarelos e teve de cumprir dois jogos de suspensão. Na visão do atleta, o acúmulo se dá tanto pela emoção, como pela interpretação equivocada dos árbitros.

"Um pouco pela emoção (das partidas) e pelas faltas mal interpretadas também. Contra o Palmeiras, a expulsão foi irregular, como todo mundo já sabe, mas também tem a emoção."

Assista à coletiva na íntegra

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte