Felipe Alves fala sobre comparação com Rogério Ceni, mas rechaça cobrar faltas pelo Fortaleza

Felipe Alves é titular absoluto no Fortaleza e tem grande confiança do técnico Rogério Ceni

Legenda: Goleiro Felipe Alves tem contrato com o Fortaleza até o fim de 2021
Foto: Foto: Camila Lima

Goleiro que exerce liderança, é peça muito importante para o time e demonstra grande qualidade para jogar com os pés. Felipe Alves ou Rogério Ceni? Os dois tiveram tais características como marcantes em suas respectivas carreiras e agora um comanda o outro. Logo, a comparação é inevitável.

O atual arqueiro do Fortaleza fala com tranquilidade sobre a questão e vê a comparação com o ex-goleiro do São Paulo como positiva, mas destaca que há limites que devem ser respeitados.

"É legal essa comparação. Todo mundo quer ser comparado a grandes jogadores, grandes ídolos, principalmente uma pessoa que tem a história que o Rogério tem dentro do futebol. Eu acho isso muito bacana. Mas assim, eu já faço parte de uma evolução do goleiro muito legal, que eu admiro muito, que eu aprecio, que tenho maior prazer em fazer e representar dentro de campo. Mas acho que a gente tem que ter um certo limite. Não pode querer misturar as coisas", disse Felipe, em entrevista ao programa A Grande Jogada, da TV Diário, na última quinta-feira (21).

Os limites citados pelo camisa 12 do Leão do Pici é em relação à possibilidade de cobrar faltas, como fazia o atual treinador na época em que era jogador.

"Se de repente eu começo a bater falta e tomo um gol questionável, a comparação vai ser: "quis ser o Rogério Ceni, deixou de ser o Felipe Alves". E isso não é bom pra minha carreira. Não é que eu estou me precavendo sobre isso, é uma coisa que pode acontecer. Eu acho que todo atleta de futebol profissional tem capacidade de bater uma falta, um pênalti, desde que ele treine. O Rogério foi o Rogério por que ele treinava constantemente cobranças de faltas, e ele é mestre nisso. É saber reconhecer o seu limite", disse. 

"Bato falta? Bato falta! Mas não vou ser nunca o Rogério Ceni. Prefiro ser o Felipe Alves, que tem essa saída de jogo curta, que faz parte de um sistema moderno, e acho que é isso", complementou.

Bem adaptado no clube e peça fundamental no modelo de jogo do técnico Rogério Ceni, Felipe Alves falou ainda sobre a vontade que tem de construir um futuro no Fortaleza.