Dirigentes do Barbalha trocam graves acusações

Presidente e vice se acusam de atos ilícitos na gestão do clube. Notícia de infração é despachada pelo TJCE e Procuradoria pode instaurar inquérito ou fazer denúncia

Legenda: O Barbalha tem feito campanhas seguras na elite do futebol cearense
Foto: FOTO: ANTÔNIO RODRIGUES

O Barbalha teve uma ascensão meteórica no futebol cearense chegando à 1ª Divisão Estadual em 2018, após militar entre as séries inferiores por 16 anos. E o sucesso da Raposa dos Verdes Canaviais, com boa participações na elite, duas classificações para a Copa do Brasil e arrecadações importantes em dinheiro pelas performances, resultou em uma crise interna, que motivou disputas judiciais nas esferas desportiva e comum. Agora, a troca de acusações surge entre o presidente, Lúcio Barão, e o vice, Roberto Antônio de Castro.

Uma notícia de infração por parte do vice-presidente foi protocolada no Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol (TJDF-CE), que já foi despachada, e a procuradoria pode instaurar um inquérito.

Roberto acusa Lúcio de desvio de receitas, de não prestação de contas do clube, falsificação de assinatura de rescisão de contrato, envolvimento de fraudes em apostas esportivas. Já o presidente do Barbalha o acusa, na esfera comum, de injúria e de oferecer o dinheiro de parte da cota da Copa do Brasil a um advogado para tirar Barão do clube. O que era para ser calmaria virou disputa por poder.

Na notícia de infração, o vice-presidente pede a suspensão preventiva de Lúcio Barão da presidência do Barbalha. O advogado de Roberto, André Jorge Almeida, explicou as acusações realizadas.

"As acusações vão do Lúcio burlando o estatuto do clube, falsificação de documentos, rescisão de contrato de um jogador com falsificação de assinatura do tesoureiro, valor da Federação na conta pessoal dele, declaração da Prefeitura de Barbalha em um valor abaixo, declarando R$ 70 mil ao invés de R$ 120 mil, como jogos com o Andraus, no qual ele afirma que jogaria com atletas da base, sendo que o Barbalha não tem uma categoria assim. O processo ainda não se iniciou. Está com a Procuradoria, que irá analisar os documentos e, se entender ser viável, irá oferecer a denúncia, dando início ao processo".

O jogo no qual o advogado de Roberto se refere é uma proposta do Andraus/PR para a realização de um amistoso que aconteceria dia 6 de abril, mesmo com o futebol paralisado pela CBF, com o presidente do time cearense, Lúcio Barão, tendo aceitado o convite. O caso foi revelado pelo Fantástico, no último domingo.

Contra-ataque

O presidente do Barbalha se defendeu de todas as acusações do vice-presidente. Em nota, ele afirmou que Roberto está afastado do cargo no clube desde 2018.

"Ele responde a um processo meu por injúria desde o ano passado. Antes do Barbalha jogar pela Copa do Brasil, ele ofereceu o dinheiro que o clube receberia a um advogado: se ele conseguisse me tirar, daria R$ 100 mil. Ele foi afastado por isso. Está até em ata", disse e. Barão disse que deixa à disposição da Justiça seu sigilo telefônico e fiscal, como também do clube.

TJDF

Em contato com o Diário do Nordeste, o presidente do Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol (TJDF-CE), Dr. Tiago Albano, afirmou que até o início da semana haverá uma definição sobre possível formulação de denúncia.

"O vice-presidente do Barbalha entrou no Tribunal com uma notícia de infração. Qualquer pessoa entra com notícia de infração. Só quem pode fazer a denúncia é a Procuradoria desportiva. Despachei para o procurador geral, Dr. Luciano Furtado. A Procuradoria Geral pode promover a denúncia, arquivar ou instaurar um inquérito. Até o início da semana que vem, ele vai se manifestar nos autos nesse sentido".


Categorias Relacionadas