Curinga ofensivo de Ceni, Ederson foca em recomeço em 2020

Recuperado totalmente após grave lesão no joelho, o atacante garante estar 100%. Ederson já se coloca à disposição de Rogério Ceni para voltar a atuar. No esquema ofensivo do Fortaleza, que foi montado em função dele

Ainda no início do ano passado, o técnico Rogério Ceni pegou todos os torcedores do Fortaleza de surpresa ao montar um esquema com quatro atacantes. A proposta, ousada e inovadora no futebol brasileiro, se manteve ao longo de toda a temporada, que veio a ser a mais vitoriosa da história do clube. Porém, o jogador que motivou o treinador a fazer tal escolha não fez parte de todo o ano. Agora, recuperado e 100%, o atacante Ederson volta com status de "curinga" do sistema ofensivo.

 

Natural de Pentecoste, Ederson foi a peça que motivou Rogério Ceni a montar o esquema 4-2-4, como o próprio treinador já assegurou no ano passado. Porém, lesão sofrida no ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo, em 3 de abril de 2019, o tirou do restante da temporada.

"O Ederson nunca é carta fora do baralho para mim. Esse esquema de jogo foi montado em função dele, só existe por causa do Ederson. Em 2018, ele era o 1º jogador a entrar no jogo sempre, em qualquer circunstância por essa movimentação como falso 10 e poder de finalização. Foi uma pena quando se machucou. Se eu pudesse contar com o Ederson ficaria muito feliz", disse Ceni na reta final do Brasileirão do ano passado.

Internamente, o retorno de Ederson é visto como uma contratação. Agora, passados exatos nove meses da cirurgia após a lesão, o atacante garante que está em plena forma física para dar a volta por cima da melhor forma possível.

"Meu joelho está 100%, estou trabalhando normalmente com o grupo. A confiança eu recuperei ano passado ainda. Como não era relacionado para os jogos, ficava treinando ao máximo. Minha vontade (de jogar) está muito grande. Estou treinando ao máximo. Comecei a pré-temporada com todo mundo. Acredito estar igual a todos", garante.

O ano de 2020 é visto como uma chance de retomada para o cearense de 30 anos. "É um ano especial pra mim, que estou buscando esse recomeço. Dando o meu máximo para que possa pegar ritmo e tenho certeza que será um ano muito especial. Não só pra mim, mas pro Fortaleza também", assegurou.

Aos 30 anos, Ederson tem a polivalência como um dos seus pontos fortes. Por isso pode ser uma espécie de "curinga" para Ceni no sistema ofensivo atuando em qualquer das quatro vagas do ataque.

"Onde me colocar pra jogar eu vou dar o máximo para ajudar. Não tenho preferência, quero estar sempre jogando. Se quiser me colocar nas pontas, de camisa 10 ou então na frente, de centroavante, estarei apto a ajudar", garantiu.

O momento é propício para Ederson conseguir retomar o espaço perdido na temporada passada. Atualmente, o Fortaleza conta somente com outros quatro atacantes de ofício no elenco: Romarinho, Osvaldo, Wellington Paulista e Edson Cariús. Com Ederson, são cinco atletas pra quatro vagas.

Em 2019, Ederson fez 14 jogos e cinco gols com a camisa do Fortaleza. Até o momento da lesão, ele era o artilheiro do time na temporada.

Voo fretado

Um momento histórico merece um esforço diferenciado. É assim que a diretoria do Fortaleza trata a partida contra o Independiente, pela Copa Sul-Americana. Por isso, o Tricolor irá de voo fretado para a partida que será realizada na Argentina, em 13 de fevereiro.

A grande novidade é que haverá vagas para torcedores que queiram viajar junto da delegação. O número, porém, é limitado. Mais detalhes deverão ser divulgados oficialmente pelo clube em breve.

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte