Com mais de 100 'consulados', Ceará engaja torcedores espalhados pelo mundo

Alvinegro aposta em medida para fidelizar torcedores que estão distantes e criar rede de acompanhamento para quando jogar fora de casa

cearaconsulado
Legenda: Antes da pandemia, o consulado do Ceará em Salvador-BA sempre acompanhava os jogos do time na cidade
Foto: Arquivo Pessoal

A fidelização de um torcedor se faz pela paixão. Sentimento genuíno que, muitas vezes, não se explica, e nem se deixa abater pela distância. Mesmo estando longe, quem tem paixão verdadeira, encontra uma forma de estar perto. E é assim que o Ceará tem construído uma legião de consulados no Brasil e no exterior, engajando alvinegros espalhados pelo mundo.

O projeto foi "abraçado" oficialmente pelo clube em 2016, mas já existia antes, de maneira informal, por iniciativa própria de alguns torcedores, que se inspiraram em clubes que já realizavam esse tipo de ação, como o Grêmio, por exemplo.

Em pouco tempo, o crescimento é notável. Hoje, o Ceará possui mais de 100 "Consulados Alvinegros". Até a publicação desta matéria, são precisamente 118, que fazem do clube o líder do Norte/Nordeste no quesito. Em cada cidade, torcedores alvinegros se juntam para assistir jogos do Vovô e realizar diversas outras ações voltadas ao clube.

A representatividade existe em vários cantos do Brasil e do mundo, desde municípios do interior do Ceará, como Ipu, Quixadá e Reriutaba, passando por cidades como Brasília, São Luís, São Paulo, Rio de Janeiro e Boa Vista, chegando até o exterior, com torcedores em Jerusalém, Vancouver, Liverpool, Miami e até mesmo em Cracóvia, na Polônia.

Mais que garantir uma representatividade do clube em diversos locais, os consulados servem para aproximar conterrâneos que vivem fora do Estado.

"Eu moro em Salvador há 19 anos, e há quatro anos foi criado o consulado daqui. Passei 15 anos morando em Salvador distante do clube, sem contato nenhum. O Ceará vinha jogar aqui e pra mim não fazia tanta diferença. Depois que foi criado o consulado, tivemos uma aproximação muito grande. É uma nova relação", revela Hugo Leonardo, responsável pelo consulado do Vovô na capital da Bahia.

"Outro ganho é um legado são as amizades feitas. Uma pessoa vem morar em Salvador e é torcedora do Ceará, vai ser acolhida. Não é só assistir jogo do Ceará junto, é pra dar um apoio, onde todo mundo se ajuda. É sempre bom, quando você tá morando fora, estar próximo de pessoas que têm a sua cultura. Forma-se grandes amizades. Isso é algo que não dá pra mensurar", completa.

Fidelização e acompanhamento

A ampliação da rede de consulados traz diversos ganhos para os torcedores e também ao clube.

"Os consulados servem para aproximar os cearenses que moram fora porque eles têm contato direto com a diretoria do clube. Tudo que é preciso, o clube dá suporte. Seja conseguindo ingressos para os jogos nas cidades, recebendo os torcedores no hotel quando o clube está concentrado. São só exemplos. Mas um dos objetivos é a perpetuação da torcida. Se cria uma comunidade que favorece a manutenção dos torcedores, dos filhos dos torcedores de cada região. É a prova que o Ceará, onde quer que vá, não estará sozinho. Sempre vai ter alguém junto com o clube", explica Pedro Mapurunga, diretor de Cultura, Biblioteca e Documentação do Alvinegro, responsável pelos consulados.

Para se tornar um cônsul em sua cidade de residência, o torcedor do Ceará deve entrar em contato com o clube através do site oficial e enviar e-mail para que possa ser avaliado. O candidato a cônsul deverá cumprir alguns pré-requisitos ao ser submetido a entrevista para que, então, se torne oficialmente cônsul do clube em sua cidade.

Você tem interesse em receber mais conteúdo de esporte?

Assuntos Relacionados