Centroavante, Gustavo disputa posição com Ederson no Tricolor

Para o treinador Rogério Ceni, ninguém tem posição assegurada no time, nesta reta final de Série B, e qualquer jogador, que tenha mostrado desempenho acima dos demais, pode assumir o posto durante os sete jogos que restam

Legenda: Antes, titular absoluto, Gustavo foi parar na reserva no último jogo
Foto: Foto: JL Rosa

A retirada do artilheiro do time, antes do jogo do Fortaleza contra o Oeste/SP começar, no sábado passado, causou surpresa a muitos torcedores, afinal, como se tira o homem-gol da equipe, que precisava vencer? A inclusão de outro goleador, Ederson, no posto do "Gustagol" acabou mostrando, mais uma vez, que o técnico Rogério Ceni não costuma reservar um lugar cativo para seus jogadores.

Basta lembrar como o volante Derley despontou no primeiro turno da Série B do Campeonato Brasileiro, ao ponto de ser requisitado pelo departamento de marketing do clube para comerciais de sócio-torcedor, exibindo a sua garra e valentia. Essas características do atleta continuam sendo valorizadas, mas ele não é mais titular, entrando no decorrer das partidas.

No gol

Houve uma situação parecida no gol. Antes do jogo contra o Brasil de Pelotas/RS, o qual o Leão venceu, o goleiro titular Marcelo Boeck já havia se recuperado de uma lombalgia. Por precaução, Rogério Ceni optou por Max Walef.

No caso de Gustavo, pesou também o fato de que o jogador está passando uma fase de jejum de gols, já sendo sete partidas sem balançar as redes. Diante do Oeste, quando houve empate sem gols, Rogério explicou que preferiu uma situação de mais jogo com a bola no chão, mudando um pouco a característica do time, que sempre privilegiou o jogo aéreo para os cabeceios de Gustavo.

"Eu coloquei Felipe, Nenê Bonilha, Dodô e Ederson para sair jogando, porque no caso do Oeste, o time deles faz isso também, por não ter um camisa 9 de área. Tentamos ter uma boa posse de bola e fazer triangulações, acho que acertamos, apesar de o gol não ter saído", explicou Rogério, quando indagado sobre o assunto. Ederson saiu em defesa do companheiro: "O Gustavo ainda é o artilheiro do Brasil e não é à toa, é um cara que tem muita qualidade, finaliza muito bem e vem trabalhando forte para acabar com o jejum".


Categorias Relacionadas