Ceni tem 12 atletas multifuncionais no elenco do Fortaleza

Técnico tricolor testou seus jogadores em diferentes posições em campo e conta com um vasto leque tático para surpreender os adversários. A consciência coletiva durante os jogos é ponto muito destacado por Rogério

Legenda: Bruno Melo é um dos jogadores que o técnico Rogério Ceni pode utilizar como um curinga, atuando em diferentes posições
Foto: BRUNO OLIVEIRA/FORTALEZAEC

Consciência tática no futebol, às vezes, é mais importante que qualidade técnica ou física. Saber se posicionar em campo e usar a compreensão do jogo a favor do coletivo são faculdades que diferenciam um jogador no cenário mundial. E isso Rogério Ceni tem de sobra no elenco do Fortaleza.

Dos 31 jogadores à disposição do técnico, 12 podem desempenhar mais de uma função em campo. Mais de 1/3 dos atletas. Um fator muito bem explorado por Ceni em 2020 e que tem contribuído em diversos momentos da temporada.

Na vitória de virada, por 3 a 1, sobre o América/RN, na última rodada da fase classificatória da Copa do Nordeste, o Leão começou com Derley na vaga do lesionado Tinga pela lateral direita e, na 2ª etapa, teve Marlon nessa mesma posição, sem nunca ter atuado ali. Porém, a atuação do camisa 28 surpreendeu o treinador, que destacou a importância da disposição do elenco de ajudar durante as partidas, independentemente de como.

"O que tem de bom aqui são os caras com que trabalho. Com todas as dificuldades e adaptações. Você vê o Mariano de 2º volante, o Marlon improvisado sem nunca ter jogado de lateral-direito. Todos têm muita boa vontade de executar. E mais que isso: todos conhecem a função do companheiro. Isso é o mais gratificante. Todos sabem sua função e podem fazer uma sobressalente. Isso ajuda bastante na compreensão", elogiou Ceni após o triunfo.

Improvisos

Outro que vem sendo testado fora de sua zona de conforto no gramado é o atacante Éderson. No primeiro jogo depois da retomada do futebol, diante do Guarany de Sobral, o Camisa 91 atuou como volante, papel que se repetiu na partida passada.

"Onde o Rogério pedir pra gente jogar nós vamos. Até comentei, ele parece que é doido, às vezes, coloca em posições diferentes. Mas os mais doidos somos nós que vamos e que acreditamos. E está dando certo", brincou Éderson sobre as ideias do treinador tricolor. O atleta entrou na segunda etapa e marcou o terceiro gol, de pênalti.

Neste sábado (25), Ceni tem outra oportunidade para explorar o potencial tático do Leão do Pici diante do Leão da Ilha, o Sport, pelo jogo único nas quartas de final da Copa do Nordeste, a partir das 16 horas, no Estádio Barradão.

Dono da melhor campanha da fase de grupos da competição, o Fortaleza terminou a 1ª fase como líder do Grupo A, com 17 pontos, e busca avançar sobre o time com a pior campanha dentre os que passaram às quartas. Porém, como alertou o presidente tricolor Marcelo Paz, a equipe de Recife já eliminou o time cearense, poucos anos atrás.

"Chegou o momento das decisões. Um clássico do futebol nordestino, dois leões, duas equipes da Série A. Sport é um time muito forte, de tradição. Temos uma lembrança em 2015: eu era diretor de futebol e o Sport nos eliminou na Copa do Nordeste nesta mesma fase. Não fosse a pandemia, jogaríamos em casa, no Castelão, com a torcida apoiando, mas temos que nos adaptar e trabalhar muito para enfrentar um grande adversário e passar de fase", afirmou Marcelo Paz antes do mata-mata regional.

Você tem interesse em receber mais conteúdo de esporte?