Ceará e Fortaleza deverão jogar a Série A paralela ao Cearense

Times cearenses temem possibilidade de disputar Campeonato Cearense em paralelo à Série A, que é o foco principal dos clubes na temporada

Legenda: A um mês do Brasileirão, Ceará e Fortaleza mostram preocupação com calendário apertado para disputa mais importante do ano
Foto: JL ROSA

Mesmo antes da pandemia do novo coronavírus, Ceará e Fortaleza sempre tiveram a clara definição de que a Série A do Campeonato Brasileiro é o foco principal de ambos na temporada. Com a paralisação dos jogos e os problemas de calendário, os dois representantes cearenses na elite do futebol nacional têm grande preocupação para o futuro, sobretudo pela possibilidade de disputar o Campeonato Cearense em paralelo ao Brasileirão.

A situação se dá pela dificuldade de encontrar datas para finalizar o Estadual antes da disputa nacional, que tem início confirmado para o dia 9 de agosto, daqui a exatamente um mês, segundo afirmação do presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Rogério Caboclo.

O encerramento do Campeonato Cearense antes deste prazo seria possível caso a liberação dos jogos de futebol no Estado tivesse sido antecipada para a 3ª fase do Plano de Retomada Responsável das Atividades Econômicas e Comportamentais, que se iniciou na última segunda-feira (6), na previsão dos clubes.

Como isso não ocorreu, e o governador Camilo Santana (PT) manteve o plano original de liberar a volta dos campeonatos na 4ª fase, a tendência é que as partidas de futebol possa voltar a partir do dia 20 de julho. Entretanto, a partir do dia 21, os dois clubes estarão em Salvador, para a disputa da Copa do Nordeste, que será finalizada no dia 4 de agosto. Caso cheguem à final, as equipes do Vovô e do Leão não terão condições, portanto, de realizar jogos do Estadual antes do Brasileiro, que se iniciará cinco dias depois do torneio regional.

Surge, então, a possibilidade que os clubes disputem o Cearense ao longo do ano, encaixando de acordo com datas disponíveis, em paralelo ao Brasileirão. Outra preocupação é a Copa do Brasil, que ambos disputam. O Ceará deverá avançar à 4ª fase (venceu o Vitória por 1 a 0 no jogo de ida) e o Fortaleza ainda irá entrar nas oitavas de final.

"Se ficar alguma data do Campeonato Cearense para jogar entre o Brasileiro, tem que ser algo, no mínimo, de semifinais ou finais do campeonato, o que não é o ideal, já que o Campeonato Brasileiro vai ter uma agenda de jogos muito extensa, apertada. Os nossos clubes, geograficamente, precisam viajar mais que os outros, e ainda ter mais jogos a cumprir no meio disso seria bem prejudicial", disse Marcelo Paz, presidente do Fortaleza.

Powered by RedCircle

 

"Ficou complicado. Teremos que ver uma forma de encaixar todas as disputas, mas a prioridade nossa será o Campeonato Brasileiro. Não podemos negligenciar isso, é o principal objetivo", reforça Robinson de Castro, presidente do Ceará.

Powered by RedCircle

Alternativa

Uma possível alternativa para a resolução deste problema é a liberação dos jogos a partir deste fim de semana. Em recente entrevista ao Sistema Verdes Mares, o coordenador do plano de retomada das atividades econômicas, Flávio Ataliba, revelou que ainda existe uma avaliação deste retorno.

"No início do plano, o futebol estava previsto para voltar pra Fase 4. Inclusive, os esportes coletivos também. Tem uma demanda do setor, do futebol profissional, para antecipar, inclusive, na Fase 3. Infelizmente, com as informações que nos chegam sobre os indicadores de saúde, a gente precisa ter mais cuidado. O governador (Camilo Santana) achou por bem, pelo menos essa semana, ainda esperar a definição clara dos indicadores. Nesse sentido, vamos aguardar e torcer que, talvez no próximo fim de semana, possa haver essa possibilidade", disse.

A hipótese tem apoio da Federação Cearense de Futebol (FCF) e também é defendida por Marcelo Paz e Robinson de Castro.

No Brasil

A preocupação não é exclusiva aos times cearenses. Várias equipes do País demonstram preocupação com o calendário. Hoje, o Campeonato Carioca e o Catarinense são os únicos estaduais que já foram retomados, com o segundo tendo reinício ontem. Outros certames já têm data marcada para volta, como Paraibano (dia 18), Paulista (dia 22), Mineiro (dia 26), Paraense e Maranhense (1º de agosto).

Outros têm previsão de liberação dos governos estaduais para volta, como Alagoano e Brasiliense (18 de julho), Cearense (20 de julho) e Sergipano (25 de julho).

Outros campeonatos, como os da Bahia, Rio Grande do Sul, Goiás, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, ainda não têm datas certas definidas.