Ceará e Bahia reeditam hoje final do Nordestão em cenário diferente

Se, em 2015, o Vovô foi campeão na final conhecida como dos 100 mil, pelos públicos na Fonte Nova e na Arena Castelão, agora o Alvinegro tenta o bi em dois jogos em Salvador e sem torcedores para apoiar as duas equipes

Legenda: O meia Vinícius, que já jogou no Bahia, é hoje o artilheiro do Ceará na Copa do Nordeste
Foto: FELIPE SANTOS/CEARASC.COM

O ano era 2015 e o Ceará tinha um time notável, com jogadores como Samuel Xavier, Sandro Manoel, Uillian Correia, Ricardinho, Marinho e Magno Alves. Com um futebol vistoso e ofensivo, o Alvinegro conquistou de forma invicta a Copa do Nordeste daquele ano, batendo o Bahia na final, vencendo os dois jogos (1 a 0 na Fonte Nova e 2 a 1 na Arena Castelão), em uma decisão intitulada de "final dos 100 mil", em alusão ao número de torcedores presentes na Fonte Nova (40 mil) e na Arena Castelão (60 mil), proporcionando uma das maiores atmosferas, se não a maior, na histórica competição regional.

E cinco anos depois, Ceará e Bahia voltam a decidir a Copa do Nordeste, mostrando estar entre os clubes copeiros da região, podendo conquistar pela 1ª vez o bicampeonato no atual formato.

No quesito "finais", tanto o Alvinegro quanto o Tricolor são os recordistas desde 2013. Contando com a atual edição, o Ceará participa da decisão pela 3ª vez (2014, 2015 e 2020), enquanto que o Bahia disputa o título da competição regional pela 4ª vez (2015, 2017, 2018 e 2020).

Pelo tamanho das equipes, de suas torcidas e camisas pesadas, certamente a final de 2020 teria a mesma atmosfera de cinco anos atrás.

Mas devido à pandemia do novo coronavírus, ainda não é permitido público nos estádios do País. Decisão dura, mas necessária para se evitar contágio e proliferação da Covid-19. Assim, Ceará e Bahia duelarão em um contexto completamente diferente de 2015, com as arquibancadas vazias, nos dois jogos no Estádio Pituaçu, em Salvador, sede única da competição após a retomada. O primeiro jogo ocorre hoje, às 16 horas, e o segundo no dia 4, às 21h30.

Claro que os jogadores das duas equipes já disputaram jogos com essa característica, como na última rodada da 2ª fase, e os jogos únicos das quartas de final e semifinais. Com isso, o choque de realidade não será mais sentido. O sentimento que estará em campo é da chance de uma conquista, da possibilidade de se fazer história.

Ao final das duas partidas, o time que tiver mais pontos será considerado o campeão do Nordeste da temporada 2020. Caso haja empate nos pontos, o critério de desempate será o saldo de gols. Caso persista o empate, a decisão irá para os pênaltis.

Retorno

No Ceará, a expectativa é de uma atuação segura, sem pressa para decidir o confronto, já que será em dois jogos.

O zagueiro Luiz Otávio, que volta de suspensão, espera um Ceará atento durante os dois confrontos. "Temos que manter, entrar mais uma vez aguerridos, assim como foi no Clássico. Temos que colocar em prática o que temos trabalhado, porque a final tem 180 minutos e temos que ficar atentos todo esse tempo. Temos que efetuar da melhor forma, todo detalhe, para não dar brechas. Anular os pontos positivos do Bahia e colocar em prática nossa efetividade lá na frente e defensivamente", disse ele, que atuará ao lado de Klaus na zaga alvinegra.

Cuidados

Como os cartões amarelos não são "zerados" para as final, os jogadores correm risco de serem advertidos e ficarem suspensos para a o 2º jogo.

No Vovô, há seis jogadores pendurados com dois cartões amarelos: os zagueiros Eduardo Brock e Luiz Otávio, os volantes William Oliveira e Charles, e os atacantes Leandro Carvalho e Rafael Sóbis.

Mesmo assim, Luiz Otávio declarou que não se preocupa com a possibilidade de estar suspenso no jogo final. "Eu não tenho receio nenhum, quero ajudar o Ceará, contribuir. Se acontecer, espero que não, alguém está à altura para substituir", declarou.

No Bahia, são três "pendurados" com dois cartões amarelos: Flávio, João Pedro e Rossi.

 

Ficha Técnica
Copa do Nordeste - Final - 1º jogo
Estádio Pituaçu, em Salvador (BA)
1º de agosto - 16 horas

Ceará

Fernando Prass, Samuel Xavier, Luiz Otávio, Klaus, Bruno Pacheco, Charles, Fabinho, Fernando Sobral,
Vinícius, Rafael Sóbis e Rick. Técnico: Guto Ferreira

Bahia
Anderson, João Pedro, Lucas Fonseca, Juninho, Juninho Capixaba, Flávio, Gregore, Rodriguinho,
Clayson, Fernandão e Élber. Técnico: Roger Machado

Árbitro: Wagner Reway (PB). Transmissão: <MC>Rádio Verdes Mares, Tempo Real do Diário do Nordeste e Tempo Real do ge.globo/ce

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte