CBF diz que não houve falhas de arbitragem em Fortaleza X Sport e libera áudios do VAR

A direção do clube viajará ao Rio de Janeiro nesta semana para maiores esclarecimentos

Legenda: Fortaleza e Sport se enfrentaram pela final da Copa do Nordeste 2022
Foto: Kid Júnior / SVM

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) divulgou nesta terça-feira (18) o parecer das reclamações do Sport no duelo contra o Fortaleza pela final da Copa do Nordeste 2022, conquistada pelo Tricolor do Pici. No documento enviado à cúpula pernambucana, a entidade discordou dos quatro tópicos citados, entre eles o pênalti não marcado aos 21'1°T e aos 50'2°T, além do pênalti desmarcado aos 23'2°T.

Apesar da discordância nos tópicos acima, a CBF optou por liberar os áudios do VAR para os dirigentes do Rubro-Negro. De acordo com Manoel Serapião Filho, ouvidor de arbitragem, "a pretensão do reclamante é muito bem-vinda" e garantiu que "a comissão e toda a estrutura de arbitragem da CBF adotam todas as medidas de instrução comportáveis para seus árbitros".

Em nota publicada, o Sport discordou "veementemente da resposta dada pela Comissão de Arbitragem" e afirmou que "ainda não recebeu os áudios proferidos entre o árbitro e o VAR durante o jogo". A direção do clube viajará ao Rio de Janeiro nesta semana para maiores esclarecimentos.

Confira o parecer da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) clicando aqui

Confira nota na íntegra

"O Sport Club do Recife recebeu o ofício da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) com o retorno sobre a representação feita junto à entidade após os inúmeros erros de arbitragem da final da Copa do Nordeste 2022, na Arena Castelão, no último dia 3 de abril. Diante da conclusão do documento, que está na íntegra no corpo desta matéria, o Clube discorda veementemente da resposta dada pela Comissão de Arbitragem.

O Leão também reafirma que, apesar da liberação dada por meio do ofício, ainda não recebeu os áudios proferidos entre o árbitro e o VAR durante o jogo e, com isso, estará indo à Sede da entidade nesta semana, no Rio de Janeiro, com seu Presidente Executivo, Yuri Romão, e o Vice-Presidente de Futebol, Augusto Carreras, para maiores esclarecimentos.

Além de procurar as explicações sobre a final, o Clube viaja para debater sobre mais uma penalidade não-marcada, desta vez pelo Campeonato Brasileiro Série B, no último sábado (16), no estádio Brinco de Ouro da Princesa, na partida contra o Guarani. Na ocasião, o atacante Búfalo foi derrubado claramente dentro da área e o juiz em campo não marcou como também não consultou o VAR no lance.

O Sport Club do Recife acredita que lances como esses não podem passar despercebidos, principalmente com o auxílio de uma nova tecnologia, o VAR, que não vem cumprindo seu objetivo na totalidade, que é de minimizar erros capitais."

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte