Casos confirmados de Covid-19 relacionados à Copa América sobem para 52

Número foi atualizado nesta terça-feira (15) pelo Ministério da Saúde

Seleção Brasileira em campo contra a Venezuela pela Copa América
Legenda: Primeira adversária do Brasil, Venezuela registrou 13 casos de coronavírus nos primeiros testes realizados na delegação
Foto: AFP

O número de infecção por covid-19 entre jogadores, integrantes das delegações e prestadores de serviço envolvidos na Copa América subiu para 52, segundo atualização do Ministério da Saúde nesta terça-feira (15). Até segunda, eram 41 casos relacionados à competição disputada no Brasil.

A pasta informa em comunicado que, do total de casos, 33 estão relacionados a jogadores e membros de delegações e 19 foram detectados em prestadores de serviços contratados pela Conmebol para o evento.

O Ministério da Saúde afirma que "foram realizados 3.045 testes de RT-PCR entre jogadores, membros das delegações e prestadores de serviços" e "os casos de prestadores de serviços foram confirmados em Brasília (DF) e no Rio de Janeiro (RJ). A "positividade de casos por covid-19 foi de 1,70%".

Testes de sequenciamento genético para análise de possíveis variantes também estão sendo realizados. Os resultados devem ser divulgados em até duas semanas. 

Seleções infectadas 

No Brasil desde a última quinta-feira, a seleção venezuelana foi a primeira a sofrer um surto da doença. Adversário da Seleção Brasileira na abertura do torneio, a Venezuela registrou 13 casos de coronavírus nos primeiros testes realizados na delegação.

Além da Venezuela, outras seleções também registraram casos de coronavírus. Na seleção boliviana, por exemplo, são quatro casos positivos até agora. Peru e Colômbia também estão com pessoas infectadas em suas delegações.

Todos os contaminados foram afastados e cumprem quarentena nos hotéis em que estão hospedados. Por causa do surto na seleção venezuelana, a Conmebol mudou o regulamento da Copa América às pressas e derrubou o limite de substituições na lista de convocados para a competição. Inicialmente, cada seleção só poderia substituir cinco atletas em razão de infecção por covid-19. A modificação permitiu que a Venezuela convocasse 15 novos jogadores.

O protocolo de segurança para a Copa América prevê regras para cada momento da permanência das equipes, desde a chegada no Brasil até o retorno aos países de origem. Os atletas devem permanecer nos hotéis onde estiverem hospedados e não podem deixar o local, a não ser para os treinos e partidas. Os jogadores também precisam passar por testes de covid-19 a cada dois dias.

Na semana passada, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, minimizou a ocorrência de casos positivos da doença entre membros das delegações estrangeiras. "Faz parte. Se não tivermos possibilidade de casos positivos, não teríamos protocolos rigorosos. Devem vir outros atletas e acontecerá a partida normalmente", disse.

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte