Bate-Papo com os Craques: Arlindo Maracanã revela resenhas e polêmicas da carreira

Um dos atletas mais simbólicos do Ceará no início dos anos 2000 conta histórias de uma polêmica que não era verdade, além do título conquistado em 2006, um dos mais comemorados da história do Vovô

O futebol é construído pela história do personagem, ligação com o clube e de onde nasce a idolatria. Arlindo Maracanã é uma dessas peças que cravaram seu nome na história do Ceará em épocas difíceis, mas também viveu o cenário de transformação quando o Alvinegro conquistou acesso em 2009. O ex-jogador, que atuou em todas as posições em campo, inclusive como goleiro, não conserva somente a trajetória, mas a torcida pelo time.

"Eu confesso que tem jogos no Brasil que não consigo assistir, são muito ruins. Mas só consigo ver mesmo o Ceará, único jogo que paro e me concentro para assistir, é o meu time, é a minha pele".

Ouça o podcast

Powered by RedCircle

Arlindo é maranhense, um daqueles personagens engraçados, de história consolidada no Ceará e também no Sampaio Corrêa. Quando chegou ao Alvinegro, o clube passava grande dificuldade financeira e em meio a tantos jogadores que chegavam ou saíam, Maracanã resistiu com grande ajuda de Dimas Filgueiras e ao lado de amigos que eram "unha e carne": Adilson "Paredão" e Reinaldo Aleluia.

"Foi um amor que a gente cultivou, muito rápido. O Adilson se apegou muito rápido ao clube, nós jogamos juntos no Rio Branco de São Paulo e o Lula Pereira foi buscar ele em São Paulo, mas não vim e veio também o Reinaldo Aleluia. O Adilson chorava nos momentos ruins do clube. Eles dois eram mais sérios e eu gostava mais da resenha, brincalhão", revelou.

Polêmica

Enquanto esteve no Ceará, Arlindo Maracanã conviveu com salários atrasados e problemas de estrutura do clube. Foi protagonista de uma possível declaração onde afirmou que no clube só se comia "ovo". Quinze anos depois, ele esclarece que nunca concedeu essa entrevista e que a história foi "plantada" por um setorista que cobria o clube.

"Eu nunca disse isso! Não há entrevista, áudio que comprove. Até sei exatamente como surgiu, estava em uma reunião no clube, onde os meninos Fábio Júnior, Marciano, Ederson, que hoje está no Fortaleza. Alguns moravam no alojamento do clube e lá a comida não era muito boa, mas nunca eu disse isso. Alimentação era peixe, macarrão, havia toda nutrição completa, mas o tempero não era agradável. Chegou uma época que o jantar vinha do Sesc oferecido ao Ceará e era uma espécie de sopão, mas tinha muito óleo e os meninos não gostavam. Então, eu, Santana, Magrão, Marcelo Mendes e outros jogadores, então a gente comprava pizza ou uma comida melhor para os meninos".

Título em 2006

Arlindo era um dos que estavam presentes na conquista do Cearense em 2006 e que sofreu também com as goleadas para o Fortaleza. Um título inesquecível. "Está tudo aqui na minha memória, é como se fosse hoje".

Você confere a entrevista completa em podcast no site do Diário do Nordeste.

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte