Bastidores do Castelão: com Gilberto on fire, Fortaleza x Bahia tem tensão dentro e fora de campo

Na Arena Castelão, ânimos estiveram exaltados entre jogadores e também membros das delegações dos dois clubes

David, do Fortaleza, e Nino Paraíba, do Bahia, em dividida de bola, disputam espaço no campo
Legenda: David e Nino Paraíba em dividida de bola. Jogo foi pegado dos dois lados
Foto: Thiago Gadelha/SVM

A partida entre Fortaleza e Bahia era de grande importância para as duas equipes. Tanto é que o vencedor garantiu classificação antecipada para a próxima fase da competição. Tudo isso indicava que a temperatura na Arena Castelão seria bem mais alta que os 30ºC que o termômetro indicava para a capital cearense nesta ensolarada tarde de sábado (3). E foi.

Ainda reflexo da goleada por 4 a 0 que o Bahia aplicou no Fortaleza durante o Campeonato Brasileiro? Talvez. Havia, entre os donos da casa, uma imensa sede de revanche, e num momento importantíssimo.

A partida foi tensa do início ao fim. Entre as quatro linhas, logo com três minutos, a chegada dura de David em Nino Paraíba já aflorou os ânimos. O cartão amarelo ficou barato para o camisa 17 do Fortaleza, segundo os baianos, que reclamavam de agressão com o cotovelo e exigiam o vermelho.

Foi o start para uma série de divididas mais firmes. O jogo foi bem jogado, com direito a três gols, outras chances de balançar as redes dos dois lados e até bola na trave. Mas também muito pegado e brigado.

"Ô bandeira, você sabia que é jogo de contato físico? Encostar no outro faz parte", reclamou o goleiro Felipe Alves a certa altura.

Ao todo, nada menos que nove cartões amarelos foram distribuídos. Quatro para o Fortaleza e cinco para o Bahia. É quase a escalação titular de um time inteiro!

Fora de campo

Matheus Vargas, do Fortaleza, em dividida de bola com defensor do Bahia, que dá carrinho para interceptar chute
Legenda: Carrinhos e divididas duras marcaram duelo entre Fortaleza x Bahia
Foto: Thiago Gadelha/SVM

Mas as reclamações não ficaram só dentro de campo, não. Fora das quatro linhas foi que o bicho pegou. Como de praxe, funcionários e membros da diretoria do Fortaleza acompanhavam o jogo no Setor Premium, próximo ao campo. No mesmo local, mas do outro lado, integrantes da delegação do Bahia.

Cada dividida ou lance duvidoso era motivo para muita gritaria e reclamação de ambas as partes. Foram muitas gentilezas trocadas e todas as mães devidamente elogiadas.

"Você chega aqui e quer apitar o jogo, pô? Vai ficar falando o jogo inteiro mesmo, c@#$&*%?", reclamou um dos leoninos com o lateral-direito Nino Paraíba, que pelo vazio do estádio, com certeza absoluta ouviu o recado.

Fim de jogo

Mas o clima esquentou mesmo ao apito final. A celebração dos membros do Fortaleza foi enorme e efusiva nas arquibancadas. Parecia final de campeonato. Quem estava em campo, óbvio, ouviu - assim como ouviu tudo que foi dito durante o jogo. Na saída de campo, o centroavante Gilberto perdeu a paciência.

O camisa 9 baiano ficou on fire, saiu xingando todo mundo e esbravejou com os dirigentes leoninos. "Vocês não são jogadores e falam demais, gritam o jogo inteiro. Jogaram aonde? Querem apitar o jogo inteiro", exclamou, em direção às arquibancadas.

"Baixa a tua bola e vai embora", foi a resposta majoritária.

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte