Basquete Cearense participa de projeto social e doa refeições

Em parceria com o projeto Macarrão Amigo, que faz quentinhas para pessoas em situação de rua, Basquete Cearense faz distribuição no bairro Vila Velha

Em tempos de pandemia, ações sociais podem fazer toda a diferença na vida de quem mais precisa. E no mês de abril, logo no início da quarentena, um projeto que leva a solidariedade como ingrediente principal começou a nascer.

Partindo de uma ideia encabeçada por um grupo de amigos que engloba chefs de cozinha, advogados, empresários e publicitários, a ação começou a dar os primeiros passos, passou a tomar forma e a cativar mais e mais pessoas. Assim, surgiu o projeto "Macarrão Amigo - Nossa força na luta contra a fome".

Através da união de pessoas, a ação consiste em produzir, semanalmente, refeições de qualidade destinadas a pessoas em situação de rua, ajudando a resgatar a dignidade e a esperança de tanta gente. E a mais recente, para a comunidade do bairro Vila Velha, foi especial pela participação de integrantes do Basquete Cearense, equipe abraçada pelos fortalezenses e que disputa a liga nacional, o NBB, ou Novo Basquete Brasil.

O treinador Alberto Bial e os jogadores Felipe Ribeiro, e Sualisson, ambos alas/pivôs, estiveram na sede do projeto para acompanhar toda a concepção e a produção das quentinhas, para depois distribuí-las para moradores do Vila Velha. "O Basquete Cearense sempre teve o viés para o social, para a solidariedade. Queremos sempre ganhar jogos, mas muito mais do que isso, contemplar a vida. E a vida hoje, durante essa crise sanitária, precisou ser redescoberta, e a solidariedade também. O Basquete Cearense, fez questão, ao ser convidado, de encher estas quentinhas para preencher a barriga de quem tem fome. São 200 quentinhas para o Vila Velha. Nosso projeto social do Basquete Cearense mapeou pessoas que estão necessitando e vamos levá-las".

Um dos idealizadores do projeto, Freitas Júnior, destacou a importância de ser solidário a quem precisa.

"Nossa intenção é que ações como estas do nosso projeto possam ser replicadas. Muitas pessoas, principalmente moradores de rua, não tinham o que comer com o lockdown. E isso nos sensibilizou. O importante é ajudar a quem precisa. A sociedade precisa fazer sua parte".

O projeto

No dia 13 de maio, essa corrente do bem foi às ruas pela primeira vez. E, a partir desse dia, a ação vem crescendo cada vez mais, contando com a adesão de pessoas e marcas renomadas.

De lá pra cá, todas as quartas-feiras são muito especiais para todos que fazem acontecer e, principalmente, para quem é ajudado pelo projeto.

Já foram entregues, em nove ações até o momento, mais de nove mil refeições acompanhadas de sucos de frutas e água. E, se depender projeto, é apenas o começo.

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte