Argentina busca vaga contra Venezuela; México pega Chile

A Argentina não conquista um título desde 1993, quando faturou a Copa América no Equador

Este sábado (18) promete fortes emoções na Copa América Centenário. As últimas duas seleções semifinalistas da competição que homenageia os 100 anos de fundação da Conmebol serão conhecidos com as partidas Argentina x Venezuela, às 20 horas (de Brasília) em Boston, e México x Chile, às 23 horas, em Santa Clara, na Califórnia.

No primeiro duelo do dia, a Argentina finalmente terá o seu craque, o meia Lionel Messi, como titular nesta Copa América Centenário. Na estreia contra o Chile, ele ficou o tempo todo no banco de reservas, já que poucos dias antes teve de viajar à Espanha para participar do seu julgamento por problemas fiscais no país europeu. Depois, contra Panamá e Bolívia, entrou no segundo tempo - fez três gols contra os panamenhos, mas passou em branco diante dos bolivianos.

"Desde que sofri a lesão contra Honduras (no último amistoso antes da Copa América Centenário) tínhamos um planejamento com os médicos e a comissão técnica para fazer tratamento e chegar bem nessa fase. E por sorte isso está acontecendo e estou me sentindo cada vez melhor. Praticamente não sinto mais dor. Também me sinto bem fisicamente, então está tudo como esperávamos", disse Messi em entrevista ao jornal argentino Olé.

Messi elogiou a Venezuela e disse que o adversário deve ser respeitado. "Se eles chegaram até as quartas de final é por mérito próprio. Ninguém deu de presente. A princípio, parece melhor que não estejam Brasil, Uruguai e Paraguai, é claro. Mas se a Venezuela está aqui é porque merece", afirmou.

A Argentina não conquista um título desde 1993, quando faturou a Copa América no Equador. No ano passado, pela competição continental, ficou com o vice ao perder a final para o Chile, em Santiago. Em 2014, também perdeu na decisão, desta vez para a Alemanha na Copa do Mundo no Brasil.

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte