Arena Pantanal segue inacabada desde a realização da Copa do Mundo de 2014

O estádio nunca foi finalizado e agora sedia jogos da Copa América de 2021

Imagem aérea da Arena Pantanal
Legenda: A Arena Pantanal teve apenas 85% da obra concluída desde 2014
Foto: Edson Rodrigues / Secopa MT

Projetada para a Copa do Mundo de 2014 e uma das sedes da Copa América deste ano, a Arena Pantanal, em Cuiabá, está inacabada, mesmo sete anos após ser entregue. Não é a única obra do Mundial a ser terminada no Mato Grosso. O sistema de trilhos do VLT não foi entregue, e pode ser transformado em BRT.

Apenas 85% da estrutura do estádio está concluída. Os outros 15% não têm previsão para a retomada dos reparos necessários para que realmente se torne espaço multiuso, como estava previsto. A Arena Pantanal recebeu os jogos do Mundial e, desde 2018, partidas da Série B. Neste ano passou a abrigar confrontos da Série A com o acesso à elite do Cuiabá.

Nesta segunda (21), Uruguai e Chile se enfrentam pelo grupo B da Copa América. Porém, o entorno da Arena deixa evidente os problemas, como a falta iluminação da área externa a não conclusão das instalações das caixas d'água e outras adequações.

Batalha judicial

Na parte interna, o governo de Mato Grosso trava batalha judicial desde 2015 com a construtora Mendes Júnior, que abandonou a obra do estádio após a Copa do Mundo. A empresa é cobrada para arcar com os reparos e eliminar falhas, como nas cadeiras.

A ação do governo contra a Mendes Júnior se encontra em fase de instrução processual. Em setembro do ano passado, a Justiça determinou a realização de perícia a fim de verificar as responsabilidades. Mesmo nessas condições o governo de Mato Grosso gasta em média R$ 350 mil por mês na manutenção do estádio. São R$ 4,2 milhões por ano.

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte