Anderson Batatais lamenta novo empate do Ferroviário: "Mesmos erros do primeiro jogo"

O Tubarão da Barra empatou em 1 a 1 com o Caucaia pela 2ª rodada do Estadual e ainda não venceu

Legenda: O treinador coral ainda espera evolução do time coral no último terço do campo, para criar mais oportunidades de gol
Foto: Lenílson Santos / Ferroviário AC

Na abertura da 2ª rodada do Campeonato Cearense de 2022, o Ferroviário empatou em 1 a 1 com o Caucaia, no Domingão, em Horizonte (CE), amargando seu segundo empate seguido no Estadual. Se na estreia contra o Iguatu no último domingo, o técnico Anderson Batatais já tinha detectado problemas de criação da equipe, nesta terça-feira ele voltou a alertar sobre a qualidade no último terço do campo para criar as jogadas.

"Infelizmente tivemos os mesmo erros do primeiro jogo. Não tivemos a qualidade no último terço para criar e finalizar bem as jogadas. A equipe produziu bem no primeiro tempo, no segundo deu uma arriada física, como era de se esperar. Foi uma atuação de muita transpiração mas faltou inspiração. O espirito está até bom, temos volume de jogo, chegamos no último terço e temos errado demais. Não é o lateral direito ou esquerdo, é o time", explicou.

Na próxima rodada, o Ferrão encara o Atlético Cearense, no dia 15, às 15 horas no estádio Domingão, em Horizonte. O time coral é o 4º colocado com 2 pontos em duas rodadas.

Reação da torcida

O treinador explicou as saídas de Edson Cariús e Gabriel no decorrer da etapa final por desgaste físico, lembrando que é inicio de temporada e os jogadores já estão sentindo após segundo jogo.

"É começo de temporada. Fizemos algumas trocas, pois alguns jogadores estão sentindo o peso já. O Edson Cariús sentiu desconforto, o Gabriel câimbra. A torcida me chamou de burro porque tirei o Cariús. A emoção da torcida aqui fora é normal. Mas se eu perco um jogador como o Cariús como fica?O Gabriel sentiu um peso na perna e pediu pra sair. Eu entendo o torcedor, ele quer ganhar e sempre vão julgar o resultado final".

Mercado difícil

Por fim, o treinador comentou sobre reforços e a dificuldade de mercado para contratar jogadores.

"Está faltando para todo mundo, esse camisa 10. O mercado é difícil para nós. Quanto mais qualidade mais caro fica. A diretoria está fazendo o papel dele, correndo atrás, mas tudo depende do bolso da direção, tentar dentro daqulilo que a gente tem. É continuar acreditando, confiar e acreditar. Essa equipe pode fazer um bom campeonato e encontrar o futebol que convença cada um. Conhecemos vários jogadores mas a gente esbarra na competitividade de mercado".

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte