Análise: Vitória no sufoco alivia corais

O time coral chegou para a 4ª rodada pressionado pelos resultados ruins na 1ª Fase, mas na estreia do técnico Anderson Batatais, venceu o Floresta no PV e respirou no certame, fugindo do Z-2 e ganhando ânimo para a classificação

Legenda: O Ferroviário fez o gol do jogo, mas foi inferior ao Floresta ao longo dos 90 minutos
Foto: FOTO: THIAGO GADELHA

A pressão no Ferroviário era enorme após três rodadas sem vencer na 1ª Fase do Cearense, com o clube mudando de técnico, trocando Zé Teodoro por Anderson Batatais. E os resultados da 4ª rodada, com o três jogos disputados mais cedo, deixavam o time coral na zona de rebaixamento, precisando vencer o também desesperado Floresta à qualquer custo no Presidente Vargas.

E como todo time em crise e ansioso por resultados, o Ferroviário não fez um primor de partida na estreia de Anderson Batatais, mas o suficiente para vencer por 1 a 0, aliviando a pressão na Barra, deixando o clube na 5ª colocação com cinco pontos.

Assim, com o time mantido no G-6, são cinco pontos distante da liderança (que daria vaga na Copa do Brasil) e quatro de vantagem para a zona de rebaixamento, restando três rodadas para o fim da 1ª fase, clareando os horizontes corais.

Mas embora finalmente a vitória tenha vindo, a atuação do Tubarão da Barra foi mais uma vez preocupante. Mesmo mantendo praticamente a escalação do jogo anterior com Zé Teodoro, com apenas Fauver Frank no lugar de Ericky, afinal, Anderson Batatais chegou na véspera do jogo, a atuação preocupou a torcida.

A rigor, o Ferroviário só fez o gol, logo com dois minutos de jogo, em um belo chute de Caíque de fora da área. Depois disso, o Floresta, mesmo com sérias limitações técnicas e também ansioso por sua colocação na tabela, pressionou, criou chances claras de empate, mas as desperdiçou.

Rômulo, Wallace e Erisson deram muito trabalho para a defesa coral, chegando em boa situação ainda no 1º tempo mas errando o alvo, para desespero do técnico Luan Carlos.

Ao fim do 1º tempo, o autor do gol coral, Caíque, admitiu que o Ferroviário estava assustado com a pressão do jogo, por estar próximo da zona de rebaixamento.

"Acertei um belo chute no começo do jogo, mas estamos assustados. Vamos ver o que o professor vai falar para ampliarmos o placar. Precisamos do resultado, estamos perto da zona de degola", disse.

Pressão

Mas o cenário da partida não mudou para a etapa final, com o time coral pouco rendendo. Com Wellington Rato apagado, Fauver Frank e Léo Bahia errando as principais jogadas de contra-ataque, o Floresta dominou o jogo e não marcou gols por detalhe.

Ou melhor, por erros incríveis de finalização: as jogadas foram até bem trabalhadas, mas só Wagner, duas, e Veraldo perderam três chances com chutes que rasparam a trave de Nícolas.

Mesmo com três alterações, Yago, Kaio e Jonas em campo, o Ferroviário continuou sendo pressionado e sem armar os contra-ataques, mas no sufoco, conseguiu segurar o importante placar para respirar no Cearense.

Ficha Técnica:

Cearense - 1ª Fase (4ª rodada)
Estádio Presidente Vargas
15 de janeiro

Ferroviário 

Nícolas, Willians Morais (Jonas), Diego Bispo, Magno Alves, Willian Machado, Felipe Macena, Magno, Caíque(Kayo), Wellington Rato, Fauver Frank (Yago), Léo Bahia. Técnico: Anderson Batatais

Floresta 

Dida, Ronaldo, Caça Rato, Alisson, Zé Carlos, Thalisson, Leanderson (Marconi), Erisson, Wallace (Veraldo)
Rômulo, Matheus Bahia (Wagner). Técnico: Luan Carlos

Árbitro: Léo Simão
Gol: Caíque (FER), 
Cartões Amarelos: Matheus Bahia e Ronaldo (FLO)

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte