Análise: Vitória alvinegra foi na estratégia

Em jogo mais tático, Alvinegro sai na frente no fim do 1º tempo, anula pontos fortes do Leão e segura resultado com competência defensiva para chegar a sua 3ª vitória seguida na Série A, ocupando a zona da Libertadores

Legenda: Vina festeja mais um gol na Série A e o que selou a vitória sobre o Fortaleza, na Arena Castelão
Foto: FOTOS: THIAGO GADELHA

Ao longo da semana, muito foi debatido que o 1º Clássico-Rei desta Série A seria um duelo de estilos e estratégias de jogo e que o embate seria vencido por quem executasse melhor sua proposta de jogo. E foi exatamente o que se viu ontem no Castelão, com o Ceará sendo perfeito em sua estratégia de jogo, vencendo o Fortaleza por 1 a 0, chegando a sua 3ª vitória seguida na Série A, ocupando a zona de classificação para a Libertadores, em 6º com 10 pontos.

Embalado, o Alvinegro enfrenta o Santos pela 8ª rodada, no sábado (5), às 21 horas, na Arena Castelão.

Já o Tricolor, que não conseguiu que seu jogo encaixasse na proposta alvinegra, amarga a quebra de uma boa sequência de quatro jogos sem perder, com duas vitórias e dois empates, mantendo-se com oito pontos.

O Leão buscará a reabilitação contra Flamengo, também no sábado (5), às 17 horas, no Maracanã.

Para um confronto tão importante como um Clássico-Rei pela Série A, e com as duas equipes em alta pelos resultados positivos nos jogos anteriores, os treinadores montariam seus times dentro de sua zona de conforto, ou seja, priorizando os pontos fortes em busca da vitória.

No Ceará, Guto Ferreira replicou a estratégia utilizada na vitória alvinegra contra o Leão pela semifinal da Copa do Nordeste: meio campo mais marcador, com William Oliveira no lugar de Fabinho, e priorizando as linhas baixas de marcação e rápida transição da defesa para o ataque ao ter menos posse de bola.

No Tricolor, Rogério Ceni iniciou o jogo com um quarteto ofensivo tradicional, mas com o também veloz Yuri César no lugar de Osvaldo.

E desde o início do jogo, ficou claro que o Ceará priorizaria a transição ofensiva, deixando a bola com o Fortaleza. Tanto é que o Vovô terminou o 1º tempo com 32% de posse contra 68% do Leão, quando o placar era 0 a 0 até o gol de Vina aos 43 minutos.

Com uma marcação encaixada e dobrada nos pontas tricolores (Romarinho e Yuri César), anulou as principais jogadas do Leão, que não conseguia levar perigo ao gol de Fernando Prass.

Um dos segredos da equipe de Guto Ferreira foi segurar os laterais Samuel Xavier na direita e Bruno Pacheco na esquerda, dobrando as marcações com os volantes William Oliveira, Charles e Fernando Sobral. Para se ter uma ideia da resiliência defensiva alvinegra, o atacante tricolor, Wellington Paulista, praticamente não foi acionado, pois também estava bem marcado por Luiz Otávio e Tiago Pagnussat.

Nas poucas vezes que chegou ao ataque no 1º tempo, o Ceará conseguiu ser mais perigoso que o Tricolor de Aço, perdendo uma boa chance com Fernando Sobral, aos 21, antes de fazer seu gol.

No Fortaleza, uma rara chance foi criada aos 30 minutos, em bom ataque em velocidade, mas David, errou a passada e perdeu uma chance de ouro para o Leão abrir o placar após passe de Yuri César.

Após a perda do gol leonino, o Ceará não desperdiçaria sua chance no fim do 1ºtempo e sairia na frente, aos 43: Charles se esforçou na linha de fundo e cruzou para Vina se antecipar a Felipe Alves e marcar um belo gol: 1 a 0 para o Vovô.

Segurou

Com a vantagem, claro que o Ceará manteria a estratégia que deu certo na etapa final. E a fez com mais competência ainda.

A bola ficou mais uma vez com o Fortaleza (73% contra 27% do Vovô), mas o time de Rogério Ceni não conseguiu criar nenhuma chance para empatar. Enquanto isso, o Vovô, que jogava para encaixar contra-ataques, teve pelo menos mais três chances claríssimas de gol, com Samuel Xavier, Fernando Sobral e Vinícius, exigindo três grandes defesas do goleiro Felipe Alves.

Uma prova que no futebol atual o importante é saber o que fazer com a bola quando de tem a posse dela, mesmo que seja menor, o Alvinegro criou nove chances de gol contra cinco do Fortaleza, sendo que nenhuma do Leão exigiu defesa de Fernando Prass.

Enquanto Ceni pôs os jogadores ofensivos que podia - Osvaldo, Fragapane, Orobó e Mariano Vázquez - Guto Ferreira manteve a equipe armada defensivamente para segurar um Tricolor com mais posse, mas sem a organização necessária para chegar ao gol.

Ao fim da partida, o Vozão comemorou uma vitória maiúscula, mostrando que cada vez mais a equipe está madura para os desafios que a Série A apresenta.

Ficha Técnica
 
Série A do Brasileiro - 7ª rodada
Arena Castelão, em Fortaleza (CE)
2 de setembro

Ceará 1

Fernando Prass, Samuel Xavier, Tiago Pagnussat (Gabriel Lacerda), Luiz Otávio, Bruno Pacheco, Charles,
William Oliveira (Fabinho), Fernando Sobral, Vinícius (Felipe Baxola), Leandro Carvalho (M. Gonçalves), 
Cléber (Rafael Sobis). Técnico: Guto Ferreira

Fortaleza 0

Felipe Alves, Gabriel Dias, Quintero (Fragapane), Paulão, Bruno Melo, Felipe, Juninho (Tiago Orobó),
David (Osvaldo), Romarinho, Wellington Paulista, Yuri César (Mariano Vázquez). Técnico: Rogério Ceni

Árbitro: Luiz Flavio de Oliveira (SP). Gol:Vinícius (Ceará). Cartões Amarelos: Charles e Vinícius (Ceará) e Felipe e Mariano Vázquez (Fortaleza)

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte