Análise: Punição dupla para o Ceará

Vovô foi penalizado com mais rigor pela confusão ocorrida no último Clássico-Rei. Além da multa de R$ 60 mil, o clube realizará 1º jogo do ano de portões fechados enquanto Leandro Carvalho foi suspenso por dois meses

Legenda: Ao descumprir decisão por dívida, o atacante Leandro Carvalho deve desfalcar o Vovô por 4 jogos em 2020 após punição da CBF
Foto: FOTO: THIAGO GADELHA

A temporada 2020 ainda não começou, mas o Ceará já sabe que vai demorar um pouco mais que o imaginado para reencontrar o seu torcedor no ano que vem. Ontem, o pleno do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) puniu o Alvinegro em uma partida, que deverá ser realizada de portões fechados.

Com isso, a estreia do Vovô na temporada, no dia 26 de janeiro, às 18 horas, pela Copa do Nordeste, contra o Frei Paulistano/SE, ocorrerá sem a presença de torcedores. O local da partida deverá ser mantido para a Arena Castelão.

Além da punição, o Vovô terá que realizar ainda pagamento de multa de R$ 60 mil.

A decisão ocorre por conta da confusão generalizada após o último Clássico-Rei da Série A, dia 10 de novembro, que teve vitória do Fortaleza por 1 a 0, em duelo válido pela 32ª rodada do Brasileirão.

O Tricolor também foi apenado no julgamento, em que foi mantida a multa, majorada para R$ 60 mil. O Leão do Pici, entretanto, ao contrário do Ceará, foi absolvido da perda de dois mandos de campo com portões fechados e não terá necessidade de atuar sem a presença de torcedores.

À priori, o Tribunal havia decidido por punição de perda de dois mandos de campo e multa de R$ 20 mil aos times cearenses, mas ambos obtiveram efeitos suspensivos. Na época, a mudança permitiu que tricolores e alvinegros disputassem a reta final do Brasileirão com presença de público na Arena Castelão.

Leandro Carvalho

O atacante Leandro Carvalho, do Ceará, não poderá defender o clube pelos próximos dois meses. Ele foi suspenso pela Câmara Nacional de Resolução de Disputas (CNRD) da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) por descumprimento de uma decisão por conta de dívida de R$ 225 mil com o seu antigo empresário. A informação foi publicada pelo portal UOL e confirmada pelo Diário do Nordeste.

De acordo com o UOL, o valor é por conta de uma quebra de contrato do jogador com o ex-agente sem justa causa. Leandro Carvalho não pagou a dívida e chegou a realizar um acordo com a empresa TFM Agency Marketing Esportivo Ltda, mas, posteriormente, deixou de cumprir com as obrigações e foi advertido pela CNRD. Leandro então 'ignorou' as decisões e seguiu em débito, acabando suspenso por dois meses.

O Diário do Nordeste apurou que esta é a decisão final e não cabe recurso. Segundo apurou o UOL, o jogador precisa quitar a dívida e ainda informar à CNRD para ter a punição suspensa.

Em nota à reportagem, o Ceará se pronunciou sobre a situação.

"O Ceará Sporting Club cumprirá com qualquer comunicação que venha dos órgãos oficiais, mas não comentará o episódio por se tratar de assunto pessoal do atleta Leandro Carvalho. No mais, adotaremos as medidas cabíveis para resguardar o clube".

Este é mais um caso polêmico envolvendo o atleta, que tem recorrentes episódios de indisciplina.

Com isso, caso a suspensão seja mantida, Leandro Carvalho desfalcará o Ceará nos quatro primeiros jogos do clube na Copa do Nordeste, contra Frei Paulistano, Fortaleza, ABC e Bahia.

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte