Análise: Fortaleza peca nas finalizações em empate contra Fluminense, mas evolui setor criativo

Equipe tricolor finalizou 16 vezes na partida, mas conseguiu êxito em apenas uma finalização

Legenda: David é a principal referência ofensiva do Fortaleza
Foto: Fabiane de Paula / SVM

O empate contra o Fluminense, em 1 a 1, na Arena Castelão, na noite deste domingo (20), marcou o 21° jogo de invencibilidade do Fortaleza na temporada. O resultado obtido diante dos cariocas manteve a equipe leonina invicta na Série A do Campeonato Brasileiro, além da vice-liderança, com 11 pontos conquistados em cinco partidas.

O duelo, no entanto, marcou a melhoria do setor criativo da equipe comandada por Vojvoda. Em comparação com o último confronto do Fortaleza, na última quinta-feira (17), no empate sem gols contra o Atlético-GO, o Tricolor do Pici arrematou 11 finalizações a mais (5 x 16), além de ter criado duas grandes chances, contra nenhuma diante dos goianos.

Legenda: Robson marcou o único gol do Fortaleza na partida
Foto: Fabiane de Paula / SVM

A imposição e intensidade, tanto cobrada por Juan Pablo desde sua chegada, surtiram efeito, prioritariamente, pelas laterais do campo, com Luiz Henrique e Yago Pikachu. O Fortaleza chegou ao gol defendido por Marcos Felipe com frequência: 16 finalizações na partida (dois chutes ao gol, nove para fora e cinco arremates travados).

Porém, o comandante argentino esbarrou em um outro problema: a pontaria tricolor. David, principal referência ofensiva do Fortaleza dentro de campo, esteve cara a cara com Marcos Felipe em duas oportunidas, mas desperdiçou. A persistência geraria resultado apenas no 2° tempo, quando Robson encontrou o caminho das redes e garantiu, além do empate, o mantimento da sequência invicta do Tricolor do Pici.

Estatística ofensivas da partida:

  • 16 finalizações
  • 2 finalizações no gol
  • 9 finalizações para fora
  • 5 chutes travados
  • 2 grandes chances
  • 1 grande chance perdida

Defesa vazada

Legenda: Marcelo Benevenuto e Fred disputam bola na Arena Castelão
Foto: Fabiane de Paula / SVM

Um dos principais trunfos da arrancada do Fortaleza após a chegada de Juan Pablo Vojvoda é o setor defensivo. Após três jogos sem ser vazada, a equipe tricolor voltou a sofrer gol. Porém, apesar da falha de marcação na cobrança de escanteio de Nenê, que findou no gol de Caio Paulista, o pilar da equipe se manteve com grande atuação coletiva: 57 duelos ganhos, 11 desarmes, 13 interceptações e 10 cortes, além de ter cedido apenas uma chance clara ao adversário.

Em um recorte dos últimos dez jogos do Fortaleza, a defesa tricolor foi vazada apenas quatro vezes (Atlético-MG, Ceará, Internacional e Fluminense), além de ter sofrido apenas três gols na Série A do Campeonato Brasileiro, sendo a 5ª melhor defesa da competição.

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte