Alecsandro elogia o Ceará e pede respeito com o CSA: "está muito vivo"

Equipes se reencontram no domingo (22), às 16 horas, no Rei Pelé, pela abertura do returno do Brasileirão

Legenda: Alecsandro balançou a rede uma vez no Brasileirão
Foto: Foto: Augusto Oliveira / CSA

O CSA chega mais fortalecido para encarar o Ceará. Tendo perdido por 4 a 0 na abertura da Série A do Brasileiro, o Azulão reencontra o Vovô no domingo (22), às 16 horas, no Rei Pelé, após um empate em 1 a 1 contra o São Paulo, fora de casa. Para o centroavante Alecsandro, é duelo com apoio da torcida é o melhor momento para pontuar na tabela.

"A gente sabe da necessidade de ganhar os jogos dentro de casa. a gente vem fazendo bem isso, e espero que diante do Ceará, mesmo sabendo da dificuldade, o Ceará está num momento melhor que o nosso, mas que a gente possa vencer essa partida e voltar a pontuar", declarou.

Ocupando a 18ª posição, com 16 pontos, o CSA passou o 1º turno inteira na zona de rebaixamento. Com a saída do técnico Marcelo Cabo e a chegada de Argel Fucks, no entanto, o time passou a reagir na competição e já está a dois do Fluminense, primeiro time fora do Z-4. Alecsandro pediu respeito com o clube e ressaltou o poder de reação da equipe.

"Quem está de fora nos colocou morto, mas o CSA está muito vivo. A gente está tendo agora o respeito que o CSA precisa, sabemos a dificuldade de jogar no Nordeste, às vezes, o pessoal de São Paulo, do Rio, não respeita muito, então [eles] estão tendo que respeitar, estão vendo que para ganhar do CSA é complicado", afirmou.

Jogo de reencontros

Legenda: Ricardo Bueno marcou 10 gols com a camisa do Ceará em 2019
Foto: Foto: Kid Júnior / SVM

Na viagem para Alagoas, o Ceará reencontra um velho conhecido: Ricardo Bueno. Até então, artilheiro do time em 2019, com 10 gols, o atleta de 32 anos deixou o Alvinegro de Porangabuçu com o fim da pausa para a Copa América em busca de mais espaço. Pelo CSA, todavia, acumula seis partidas sem balançar as redes.

Além do atacante, o Vovô também tem pela frente outros três nomes que passaram pelo time: o lateral Apodi, o volante Naldo e o meia Jean Cléber. Destes, o de maior destaque foi o defensor, que atuou na equipe em 2012.

Você tem interesse em receber mais conteúdo de esporte?