Sete dicas para quem está em transição capilar

Especialistas ensinam o que fazer para deixar o cabelo saudável durante a transição.

Mulher cuidando de cabelo cacheado
Legenda: Usar o produto adequado para cada fase da transição é uma das indicações das profissionais.
Foto: Shutterstock

Nem liso, nem cacheado. Chega uma fase da transição que o cabelo tem duas texturas e fica difícil arrumar no dia a dia. Paciência, bons produtos e informação ajudam muito quem não pensa em desistir de levar a transição até o fim.  

Para manter a saúde dos fios nesse momento, alguns cuidados são necessários. Conversamos com especialistas em cabelos crespos e cachos sobre o que não fazer, que tipos de produtos usar e quais são as recomendações essenciais para ativar os cachos e diminuir o drama da fase de transição. 

1.Não escovar e usar a prancha todos os dias 

É tentador, mas usar a prancha todos os dias traz muitos danos aos cabelos. Como explica a cabeleireira Virgínia Sanchez, especialista em cabelos crespos e cacheados, submeter os fios ao calor do equipamento todos os dias prejudica a curvatura do cabelo natural, “pois a tração da escova e da prancha associada ao calor promovem a abertura do cacho”. 

2.Não manter o cabelo preso o tempo todo 

O cuidado com o couro cabeludo é essencial nesse processo de transição e manter os fios presos o tempo todo acaba prejudicando essa região, como explica a cabelereira Lu Muriell, do Salão Flozô. “Prender o cabelo muito apertado sempre pode causar um alisamento por tração e pode causar queda”. Então o que fazer se não é bom fazer chapinha, nem prender o cabelo por muito tempo? Ficar andando por aí com raiz do cabelo fofa e metade do cabelo liso não é uma opção. A respostas está na próxima dica. 

3.Descubra novos penteados 

A dica é da cabelereira Lu Muriell. “Tem muito penteado legal na internet que você pode fazer rapidinho, sem precisar ter tanta habilidade assim e poderá disfarçar o crescimento dessa raiz. Dessa forma, você pode manter a autoestima em dia e se manter arrumada”, sugere.

A profissional explica ainda que em determinadas ocasiões, a escova é permitida, mas recomenda que se evite a chapinha ao máximo. “Tem um evento importante? Escova o cabelo, faz babyliss, principalmente nessa parte que está mais lisa. Se você já tem uma raiz maior, ao invés de ficar fazendo escova e chapinha, faz a fitagem”, sugere. 

Legenda: Cabeleireira Géssica Hellen alerta para o cuidado ao se fazer escova em salão.
Foto: Denise Marçal/Divulgação

4.Cuidado ao fazer a escova no salão

Se vai escovar o cabelo em salão de beleza, muita atenção nessa hora. O alerta é da cabeleireira Géssica Hellen, do Salão Flozô, para o cuidado em relação às escovas usadas nos estabelecimentos. Ela conta que restos de alisantes contidos nas escovas podem acabar passando para o cabelo em transição durante a escovação, retardando todo o processo que você há meses espera terminar. “Se for ao salão, leve sua escova de estimação e seu protetor térmico que dá tudo certo”, indica a profissional. 

5.Use produto adequado à fase do cabelo 

No início, quando o cabelo não está definido, é melhor usar produtos para os de cabelos crespos/cacheados ou manter o que já se usa? De acordo com Lu Muriell, o mais importante é usar produtos que estimulem o couro cabeludo. O tipo de produto a ser utilizado vai depender do tamanho da raiz.

“Se você tem uma raiz muito longa, se tem mais parte cacheada do que parte com química, pode começar a usar produtos para cabelos cacheados. Mas se o cabelo tem mais partes com química, se você acabou de começar a transição, o ideal é que use produtos para cabelos com química. E faça essa troca de xampu para que seja um xampu que estimula o couro cabeludo. A principal questão é cuidar desse couro cabeludo, desse cabelo que está nascendo", explica a profissional. 

6.Investir em tratamento e nutrição 

Durante a transição, o cabelo vai precisar massar por tratamentos de hidratação, nutrição e recuperação para restaurar a saúde dos fios. “Eu gosto muito de produtos que contenham jaborandi, alecrins, hortelã e melaleuca, pois são anti-inflamatórios e estimulam a circulação”, indica Lu Muriell.

“A circulação sendo estimulada leva mais nutrientes para esse couro cabeludo e faz com que esse cabelo cresça bem mais forte”, acrescenta. A cabeleireira Virgínia Sanchez indica a manutenção de um cronograma de tratamento com produtos de hidratação, nutrição e reconstrução capilar. "Para hidratação, procure produto que contenham água de coco, goji berry,  e outros ativos botânicos. Para nutrição, manteigas naturais como karité, murumuru e outras. Para reconstrução, queratina, extrato de bambu e vitamina A”, sugere.  

7.Procure profissionais e fontes confiáveis 

Contar com a orientação de profissionais especializados em cabelos crespos e cacheados faz toda a diferença durante a transição. "Procure um profissional especialista em cachos para lhe orientar quanto a produtos adequados, tratamentos, finalizações e também cortes intermediários, antes de fazer o big chop", orienta Virgínia Sanchez. 

Seguir as pessoas certas nas redes sociais também pode inspirar nessa fase, especialmente aquelas que possuem um cabelo semelhante ao seu. “A primeira coisa é procurar fontes de conhecimento realmente confiáveis. Tem que ter critério na hora de acompanhar as pessoas, porque daí você vai conseguir ter um direcionamento muito melhor”, opina Lu Muriell. 


Assuntos Relacionados