Liderada por mulheres, conheça oito empresas cearenses que estão comercializando ovos de Páscoa

Empreendedoras estão vencendo os desafios da pandemia e trazendo inovação e criatividade para a Páscoa deste ano

Ovo de Páscoa com brigadeiro.
Legenda: Ovo de Páscoa com brigadeiro.
Foto: Reprodução

Chegou a época mais doce do ano e não precisa ser chocólatra para desejar um ovo de páscoa para chamar de seu. Mesmo com as lojas fechadas e com a queda da comercialização devido à pandemia do novo coronavirus, algumas empresas estão se reinventando e outras criaram coragem para criar seu próprio negócio, com o propósito de levar renda extra a quem perdeu o emprego ou quem deseja realizar o sonho de empreender na gastronomia. 

Saiba como a Padaria Costa Mendes, Chamego, Sucré, Viva Doce, Dolce Divino, Púrpura Patisserie, Nutribem e Vila Morena Patisserie realizam o processo de produção artesanal dos ovos de Páscoa, quais os tipos que mais agradam os clientes e os desafios do empreendedorismo feminino durante esse período de incertezas e de novo desafios. 

Padaria Costa Mendes 

“A Páscoa é uma época mágica, é a época mais doce do ano, quem não gosta de chocolate? Traz boas lembranças. Chocolate de ovo de páscoa tem um gostinho todo diferente”, afirma Manoella Costa,  diretora de marketing. 

A Padaria Costa Mendes, com 27 anos de mercado, com três unidades pela cidade (Montese, Vila União e Aldeota) já se prepara desde o ano passado para o período da páscoa de 2021, mas esse planejamento nem sempre aconteceu. Antigamente, as padarias não tinham produção própria, basicamente revendiam produtos terceirizados. Somente as marcas nacionais comercializavam ovos de páscoa. Porém, com o passar do tempo, surgiu a fabricação dos ovos artesanais. Como enfatiza Manoella Costa, 29, diretora de marketing da padaria, “aquele gostinho de infância, vem ganhando espaço e sendo o queridinho das famílias brasileiras”. 

Esse ano, a Padaria traz, além do campeão de vendas, o ovo de páscoa de colher sabor brigadeiro gourmet, novas opções de sabor como ovo trufado e o ovo taça, chamado de "tentação''. A embalagem foi planejada com o intuito de transmitir paz, tranquilidade, amor e recomeço. 

Mesmo na pandemia, o empreendimento não deixou de decorar suas lojas e preparou mudanças no cardápio para o período da páscoa. Além das lojas, a Padaria Costa Mendes oferece o serviço delivery, no qual precisa ser realizado com bastante cuidado pois o chocolate é muito delicado e o ovo pode balançar durante o percurso. 

“Apesar desse momento que estamos vivendo, a páscoa merece ser vivida por inteiro, com todo o amor e esperança em dias melhores. A páscoa tem o símbolo do recomeço e acredito que seja isso que estamos fazendo todos os dias no mundo inteiro, recomeçando nossas vidas, reinventando nossas formas de trabalho, redescobrindo quem somos e o que queremos ser”, enfatiza Manoella Costa. 

(Clique para ver as fotos em tamanho maior)

Chamego 

“Nossa missão é nosso lema, é a vela do nosso barco! Viva a força feminina”, enfatiza  Marina Araujo, chefe de cozinha.


Faz cinco anos que a chefe de cozinha, Marina Araújo, planejava abrir seu Chamego. E foi em setembro de 2020, durante a pandemia que, juntamente com Karol Teodoro, sua sócia, se tornaram empreendedoras. Chamego é um restaurante de comida brasileira. 

Devido ao período pandêmico, a chef Marina, que começou a carreira na confeitaria, decidiu comercializar ovos de páscoa. “Nossos ovos de páscoa são produzidos manualmente, um por um, cada um tem toda a atenção que merece, para que além de encantar com o sabor perfeito, também agrada os olhos de quem compra. Definitivamente nossos produtos de páscoa são aqueles que você primeiro devora com os olhos!”, afirma Marina. O processo de produção dos ovos inicia com a escolha e valorização dos insumos, preferindo sempre alimentos orgânicos e os melhores ingredientes. 

Esse ano, o Chamego fez parceria com uma empresa de cookies para compor a produção de ovos veganos e outra empresa que utilizou lenços como forma de embalagem dos ovos, deixando-os muito mais estilosos, chamados Doce Aconchego. 

“Nosso lema é se reinventar, somos duas sócias, eu e a Karol Teodoro, e estamos sempre buscando inovar e surpreender. O empreendedorismo feminino chegou e ficou, e aqui nós temos a missão de todos os dias deixar os nossos clientes mais felizes, mais esperançosos e claro, extremamente satisfeitos com a experiência que desejamos proporcionar”, enfatiza Marina Araujo. 

(Clique para ver as fotos em tamanho maior)

  

Sucré  

 “É muito importante apoiar as mulheres. A maioria da nossa equipe é mulher, a gente procura estar perto dessas mulheres, tentando apoiar todas essas questões relativas ao ser mulher. A gente tem essa ideia de que as mulheres são capazes de mudar o mundo”, diz Lia Quinderé, chef de cozinha. 

A Sucré está sempre inovando e trazendo novidades ao mercado. A marca de doces e salgados das sócias Lia Quinderé, formada em direito mas que escolheu a gastronomia como profissão, e Luana Aguiar, que trabalhou como executiva em empresas, mas escolheu empreender. Sempre prezando pela produção artesanal, sem nenhum tipo de industrialização, fornecendo ovos frescos e sem conservantes. 

Lia Quinderé, chef e fundadora da Sucré, se formou em escola francesa, mas sempre teve entendimento de usar as técnicas da confeitaria tradicional francesa em prol dos ingredientes provenientes do nosso Estado. A equipe de produção é formada, em sua maioria, por mulheres e por jovens estagiários que buscam o aprendizado, sendo proveniente de escolas de gastronomia ou não, além dos funcionários com experiência. 

O grande diferencial da Sucré são os insumos provenientes do Ceará, como o cacau, plantado em Tabuleiro de Russas, no interior do Ceará, escolhido para a fabricação de uma parte dos ovos de páscoa. “Fazemos o acompanhamento completo, é um chocolate que eu tenho muito orgulho de usar. A gente faz um ovo específico com esse chocolate que se chama ‘ovo do Ceará’ e é um dos produtos que a gente tem mais apego pela história”, afirma Lia Quinderé. 

A chef de cozinha ressalta o diferencial do cacau no nosso Estado. Por ser um produto plantado em solo cearense, o nosso cacau contém notas de rapadura e mel. Assemelha-se com a plantação da uva e do café que se apropria de características da região e resulta em um produto final diferenciado. “O nosso cacau do Ceará é muito especial porque ele resulta nesse chocolate com sabor bem apropriado”, comenta Lia Quinderé. 

Devido ao grande volume de chocolate para a produção dos ovos, - são 15 mil unidades de ovos, entre mini ovinhos e ovos grandes - é necessário a utilização do chocolate belga, de excelente qualidade. O processo de fabricação no período da páscoa inicia-se com seis meses de antecedência. O desenvolvimento das receitas, as escolhas dos produtos e os testes são realizados pela chef Lia, que em seguida leva para o crivo da equipe. Após aprovada, é iniciada a programação de produção, divulgação e comercialização. 

Os ovos variam de formatos, texturas e sabores, se são só casca com alguma crocância ou se são ovos trufados com algum tipo de recheio, podendo ser 100% maciço ou não e os ovos de colher. “Os ovos que fazem mais sucesso, além do ‘Ovo do Ceará’, são os ovos recheados, ovos de colher e ovos trufados. A gente tem uma seleção de ovos que atendem a todos os gostos. Eu tenho desde um chocolate intenso, que é um sabor que agrada as pessoas que gostam de um chocolate mais amargo até o ovo bem recheado”, afirma Lia Quinderé.  

(Clique para ver as fotos em tamanho maior)

Viva Doce 

“Ver tantas outras mulheres com seus próprios negócios nessa área, nos motivou a tentar também!”, comenta Virginia Gurgel, confeiteira e empreendedora. 

Formada por mulheres, a Viva Doce surgiu desde janeiro, a princípio com intuito de vender ovos de páscoa, mas com toda a força de vontade e garra de continuar o negócio com a venda de bolos, tortas e outros tipos de doces. 

Virgínia Gurgel, 29, cozinheira e confeiteira, e Vanessa Teles, 26, confeiteira, sócias da Viva Doce, decidiram arriscar-se em empreender mesmo com a pandemia. “A Viva Doce se tornou um sonho para nós. Esperamos poder dar continuidade mesmo nesse momento tão delicado que estamos passando”, afirma Virginia Gurgel. 

Juntas realizam todas as etapas de produção dos ovos de Páscoa, começando pela criação do cardápio, fabricação dos ovos e fechando com serviço de entrega. Além disso, pensam em cada detalhe das embalagens e buscam transmitir carinho, delicadeza e sofisticação, elas mesmas fazem os laços e escrevem os bilhetes para os clientes. 

Para a fabricação dos ovos, Virginia e Vanessa buscaram inspirações na infância, como um bolo de coco chamado "toalha felpuda", comum em aniversários e a "surpresa de uva", brigadeiro branco com uma uva dentro. Os sabores preferidos são o "lindo de pipoca'' e o "lado chocolate da força", com bombons temáticos do Star Wars. 

(Clique para ver as fotos em tamanho maior)

Dolce Divino 

“Vamos renovar nossas vidas nessa Páscoa, comemorar com nossas famílias e saborear chocolates divinos!”, comenta Gabriela Portugal, engenheira de produção e empreendedora. 

Dolce Divino surgiu há quatro anos,de um sonho das sócias Débora Portugal e Gabriela Portugal de serem empreendedoras e fomentar o mercado local cearense. 

“Sempre utilizando chocolate belga e demais matérias primas de qualidade, com o intuito de oferecer os mais saborosos produtos. Nessa páscoa, na qual todos nós estaremos em casa, com nossas famílias, preparamos uma linha de ovos sofisticada, com recheios que fazem suspirar de tão deliciosos, com o intuito de ser um abraço no coração de cada um, afirma Gabriela Portugal. 

Nesse período de Páscoa, as sócias da Dolce Divino pensaram em como poderiam transmitir carinho em forma de ovos. Nesse sentido, as embalagens, as paletas de cores, as estampas de coelho e até o cacau escolhido transmitem a essência da marca. Os sabores mais escolhidos pelos clientes são os ovos de Oreo com Nutella e o de Trufa Flocada. Os atendimentos podem ser feitos via whatsapp ou ligação e a retirada do pedido é via drive-thru e delivery.   

(Clique para ver as fotos em tamanho maior)

Púrpura Patisserie  

 “Pra gente que é pequeno produtor, empreendedor e ainda mais mulher, está sendo um grande desafio em meio a pandemia”, ressalta Letícia  Carvalho, jornalista e empreendedora 

Letícia Carvalho, 24, sempre amou presentear seus amigos e familiares com brownies feitos por ela e com isso recebia elogios e a seguinte pergunta: “por que tu não vende?”. Mas foi após a graduação de jornalismo e os estudos na pós em marketing que começou a acreditar no seu potencial e ter vontade de empreender. 

“Comecei a enxergar realmente como um potencial e finalmente estou à frente da Púrpura com cinco meses de existência. É uma coisa que eu amo fazer. Espero sempre poder melhorar e alcançar as nossas metas”, ressalta Letícia Carvalho. 

No começo, vendia apenas brownie, mas devido ao aumento da clientela e dos pedidos, resolveu ampliar o cardápio. Hoje a Púrpura Patisserie vende bolo e pudins. Durante o Natal, vendeu panetones e agora está produzindo ovos de Páscoa. 

Os grandes destaques da Páscoa foram os ovos S'mores, com a casca meio amarga, camadas de cookie caseiro com ganache de chocolate, marshmallow tostado por cima e o trufado de Caramelo Salgado. 

(Clique para ver as fotos em tamanho maior)

Nutribem 

“Sempre com muito amor e dedicação, procuro fazer o melhor da culinária saudável! Neste ano de 2021, ainda em pandemia, procurei inovar e me reinventar”, afirma Clau Araújo, estudante de nutrição e empreendedora. 

Claudenis Maria Costa Araújo, 41, mais conhecida como Clau Araújo precisou sofrer o impacto da pandemia para conseguir trabalhar com o que ama. Saiu de seu antigo trabalho como gerente de loja e ingressou na faculdade de nutrição. A Nutribem nasceu há nove meses com o intuito de levar alimentação saudável aos seus clientes. 

“Como sou adepta a um estilo de vida e amo cozinhar, quis mostrar, por meio dos meus produtos, que a comida saudável pode ser saborosa. Meu principal objetivo é possibilitar às pessoas com ou sem intolerância alimentar, uma alimentação equilibrada e saudável”, diz Clau Araújo. 

Foi então que surgiu a ideia de produzir ovos de Páscoa fit. A empreendedora criou receitas com 60% a 85% de cacau em pó, 100% sem lactose e glúten, no qual podem agradar consumidores intolerantes ou com alergias alimentares que precisam seguir dietas restritivas. 

Diante das mudanças sociais e pessoais, Clau Araújo deixa claro que para empreender é preciso ter coragem, vontade e acreditar sempre no que faz. 

(Clique para ver as fotos em tamanho maior)

Vila Morena Patisserie 

“Mesmo com tudo que estamos enfrentando, as pessoas continuam querendo celebrar com os poucos que estão perto. Isso nos dá uma garra para chegarmos aonde queremos”, diz Camila Diniz, empreendedora. 

Desde 2015, Camila Diniz trabalha no ramo da gastronomia sempre com muita força de vontade de crescer. No começo contava com a ajuda da irmã Cássia Diniz no processo de produção e comercialização, porém, acabou saindo para trabalhar em uma multinacional. Mas desde setembro, Talita Pontes se tornou sócia de Camila e juntas tomam conta de tudo, desde a escolha do cardápio até o financeiro da empresa.   

“Somos duas mulheres com um sonho de continuar crescendo e com pensamento de empregar outras mulheres. Que é algo que sempre pensei, de ter equipe feminina juntas”, afirma Camila Diniz. 

Com a ajuda dos pais de Camila e de uma assistente, a Vila Morena Patisserie produz cinco tipos de ovos de Páscoa, todos levam nomes das clientes. O queridinho é chamado de Liana que contém chocolate crocante ao leite, bolo amanteigado, brigadeiro branco crocante e trufas crocantes, mas há também os ovos Juliana, Debora, Hanna e Beatriz, além da produção de mini ovos, barrinhas de chocolate e trufas.  

(Clique para ver as fotos em tamanho maior)

 

A Páscoa é uma das festividades mais importantes durante o ano. Para os cristãos, a data celebra a ressurreição de Cristo, representando vida nova. Para quem empreende na produção de ovos de chocolate, é uma oportunidade que se ilumina  em um período de incertezas. A esperança renasce da força e criatividade de mulheres que buscam empreender e se reinventar neste período.

 

 

  


Assuntos Relacionados