Linda Evangelista pede indenização de US$ 50 milhões após criolipólise malsucedida

Modelo contou ter ficado "desfigurada", pedindo indenização por negligência e propaganda enganosa

Escrito por Redação,

Zoeira
Linda Evangelista em aparição pública
Legenda: Linda Evangelista ficou famosa nas passarelas nos anos 1990
Foto: AFP

A modelo Linda Evangelista revelou que deve processar o lugar onde realizou uma criolipólise, pedindo US$ 50 milhões por negligência, propaganda enganosa e falta de alerta sobre possíveis efeitos colaterais do procedimento estético.

Famosa nos anos 1990, Linda revelou, na última quarta-feira (22), que ficou "brutalmente desfigurada" por resultado de um procedimento estético malsucedido realizado há mais de cinco anos.

Procedimento estético em Linda Evangelista

Em relato no Instagram, a supermodelo revelou que o procedimento, feito com o intuito de diminuir as células de gordura, fê-las aumentarem, deixando a modelo "permanentemente deformada" mesmo após duas cirurgias corretivas dolorosas.

O efeito colateral é chamado de Hiperplasia Adiposa Paradoxal (HAP) — uma espécie de área endurecida da gordura localizada. "A HAP não apenas destruiu meu meio de vida, mas também me enviou a um ciclo de profunda depressão, profunda tristeza e às profundezas da autoaversão", lamentou.

Criolipólise

Conforme a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), a criolipólise é um procedimento estético não invasivo, sem cortes, que reduz camadas de gordura em áreas difíceis, como abdômen, região interna da coxa e costas. 

A criolipólise ataca apenas as células de gordura na região da aplicação usando tecnologia de resfriamento controlado, a qual trata a área sem causar danos nos tecidos ao redor. O aparelho utilizado possui ventosas, e o aplicador escolhido depende da quantidade de gordura e da área corporal escolhida.

Montagem com fotos de Linda Evangelista mais jovem (à esquerda) e em 2011 (à direita)
Legenda: Linda Evangelista dividiu passarelas e ensaios fotográficos com modelos como Naomi Campbell e Cindy Crawford
Foto: reprodução/Instagram; Kathy Hutchins/Shutterstock

Conforme a entidade, um único procedimento pode reduzir 25% de gordura, e o resultado pode ser percebido de dois a três meses —  prazo em que outro procedimento pode ser feito no mesmo local.

A SBD indica que as contraindicações são mínimas, como hérnia e urticária, e o procedimento pode ser realizado por pessoas diabéticas e cardíacas.

Assuntos Relacionados