Júri de Johnny Depp e Amber Heard termina sem veredito no primeiro dia; entenda

Processo irá retomar suas deliberações na próxima terça-feira (31)

Escrito por Redação,

Zoeira
Montagem com Johnny Depp e Amber Heard no tribunal
Legenda: Johnny Depp e Amber Heard seguem em disputa judicial
Foto: AFP

O júri do processo de difamação movido pelo ator Johnny Depp contra a ex-mulher e atriz Amber Heard em Fairfax, Estados Unidos, terminou sem veredito e irá retomar suas deliberações na próxima terça-feira (31).

Depp processa Amber por um artigo de opinião que a atriz publicou no jornal "The Washington Post" em dezembro de 2018, no qual ela se descreve como uma "figura pública que representa o abuso doméstico".

Apesar de a atriz não ter mencionado o nome do ex-marido, ele pede 50 milhões de dólares de indenização.

Amber, de 36 anos, apresentou uma contra-acusação, pedindo 100 milhões de dólares, sob a alegação de ter sofrido "violência física e abuso desenfreados".

Entenda o caso

Em sua alegação final, Elaine Bredehoft, advogada da atriz, disse que a ação judicial iniciada por Depp e uma campanha de "humilhação global" tem feito da vida de Amber "um puro inferno". "Destruiu sua vida. Isso a consumiu. Ela está recebendo ameaças de morte", afirmou a advogada ao júri, de sete pessoas.

Benjamin Chew, parte da equipe legal de Depp, respondeu que, embora o ator de "Piratas do Caribe" não seja um "santo" e tenha tido problemas com drogas e álcool, "ele não é um abusador violento".

"Ele não merece ter sua vida e seu legado destruídos por uma mentira cruel", disse. "Pedimos, imploramos que devolvam seu nome, sua reputação e sua carreira", declarou o advogado.

Bredehoft, por sua vez, pediu ao júri que "responsabilize o ator", já que "ele nunca aceitou a responsabilidade por nada em sua vida".

Assuntos Relacionados