Globo substitui Tela Quente por “Falas Femininas” em homenagem ao Dia da Mulher

Conheça as mulheres retratadas em programa com formato documental

Escrito por Redação,

Zoeira
Mulheres
Legenda: O programa traz histórias de protagonistas da vida real
Foto: Divulgação / Globo

A TV Globo substituirá o filme da “Tela Quente” na grade desta segunda-feira (8) pelo especial "Falas Femininas”, que vai ao ar após o Big Brother Brasil 21 (BBB 21), às 23h55. 

O programa integra o Projeto Identidade, que transforma em especiais de TV importantes temáticas da agenda social que estão vinculadas a datas do calendário, como o Dia Internacional da Mulher. A primeira temporada teve início em novembro de 2020, com o "Falas Negras".

Conheça o programa

“Falas Femininas” é um programa com uma equipe majoritariamente feminina, liderada pelas diretoras Antonia Prado e Patrícia Carvalho. O roteiro destaca trajetórias inspiradoras.

Em formato documental, a equipe acompanhou, num primeiro momento, o dia a dia de cinco mulheres, que representam o País em sua diversidade cultural, social, racial e religiosa. A segunda etapa do projeto foi gravada nos Estúdios Globo, em São Paulo, onde elas se encontraram em um bate-papo mediado por Fabiana Karla.

Quem são as personagens 

Carol DallFarra

Do Rio de Janeiro vem a rapper e estudante universitária Carol DallFarra, de 26 anos. Nascida em Bonsucesso, criada em Duque de Caxias, região metropolitana da cidade, trabalhou para pagar o próprio cursinho pré-vestibular, e hoje, estuda na UFRJ, onde está concluindo a faculdade de Geografia. Sua trajetória estimulou a própria mãe, Eliane, a voltar para a escola. As duas são muito amigas, e Eliane morre de orgulho de filha, que também escreve poemas, é slammer

Cristiane

A auxiliar de enfermagem Cristiane Sueli de Oliveira, de 44 anos, nasceu e mora em São Paulo. Está separada há dois anos, mora com os quatro filhos e se divide entre a rotina no hospital e o cuidado com ele. 

Sebastiana

Ainda na capital paulista mora Sebastiana do Santos Oliveira, a Tina. A diarista, de 47 anos, nasceu na Bahia, onde desde cedo começou a trabalhar em casa de família como empregada. Quando um dos irmãos se mudou para São Paulo, pegou o mesmo rumo. Na capital paulista, faz faxina em residências, empresas, cozinha para eventos. Atualmente, mora com os dois filhos. 

Gleice

A ambulante Gleice Araújo Silva é mais conhecida como Ruana. Com 29 anos, mora em Salvador com o marido e as três filhas e tem uma barraca de drinks na praia. Fora da alta temporada, complementa sua renda cozinhando em eventos ou por encomenda.

Sebastiana

A agricultora Maria Sebastiana Torres da Silva, de 59 anos, é de São Raimundo Nonato, no Piauí, Ela não frequentou a escola porque tinha que trabalhar na roça, mas aprendeu a tocar sozinha uma sanfona que encontrou abandonada. E conciliou o trabalho na lavoura com apresentações em festas para conseguir dinheiro para criar os filhos. Teve nove, sete estão vivos, é avó de 14 netos e continua a trabalhar como agricultora. Em 2019, entrou em uma escola para alfabetização de adultos, onde aprendeu a escrever seu nome.

Assuntos Relacionados