Vem Enem: psicóloga dá dicas para cuidados com a ansiedade antes da prova

Ter atenção às próprias demandas é importante no momento de preparação. Segundo dia de provas será no próximo domingo (28)

Legenda: Sinais de um quadro ansioso compreendem angústia, medo, inquietação, dificuldade para se concentrar, dormir, entre outros
Foto: Antonio Guillem/shutterstock

Após o primeiro dia de prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), realizado ontem (21), é importante os alunos buscarem relaxar e se manterem dispostos para a avaliação do próximo domingo (28). Nesse período que antecede um momento importante para o futuro dos jovens, a ansiedade é uma reação que pode surgir em qualquer indivíduo. Mesmo no momento entre provas, é preciso ter atenção para que a ansiedade não se torne debilitante.   

De acordo com a psicóloga e professora de Psicologia da Universidade de Fortaleza (Unifor) Karla Carneiro, a ansiedade não é, necessariamente, algo ruim, pois é definida como uma expectativa sobre o que está por vir. Contudo, são os excessos que podem gerar uma paralisação e um adoecimento da pessoa. “Então, se eu tenho ansiedade por realizar o Enem, isso, de certa forma, me mobiliza a me preparar, me organizar para estudar os conteúdos da prova, em conhecer o lugar da prova. Então, a ansiedade faz com que eu me organize para estar presente e atravessar essa prova exatamente porque isso vai possibilitar o meu ingresso no ensino superior naquele curso que eu escolhi.” 

Dessa forma, a especialista comenta que é preciso que o estudante compreenda como está lidando com essa ansiedade: está havendo problemas com as relações? O sono está sendo afetado? De que forma isso altera o cotidiano? 

Karla Carneiro explica que os sinais de um quadro ansioso compreendem angústia, medo, inquietação, dificuldade para se concentrar, dormir, antecipar experiências futuras ou se ater ao passado. Entre os sintomas da ansiedade estão falta de ar, taquicardia, excesso de suor, tremores nas mãos, respiração ofegante e dor no peito.      

Como reduzir os efeitos da ansiedade 

Segundo a psicóloga Karla Carneiro, não há uma forma única de reduzir os efeitos da ansiedade, pois cada indivíduo possui necessidades específicas. Dessa forma, é preciso observar as demandas do corpo naquele momento. “É muito importante que, principalmente entre uma prova e outra, os estudantes possam buscar se conectar consigo, se conectar com escolhas ou algo na rotina que faça sentido para eles. Que possam se expressar, seja através da fala ou do que eles gostam, como cantar, dançar, meditar, fazer atividade física, enfim, cuidar do corpo de uma forma global”, reforça. 

Compartilhar os sentimentos junto a amigos, familiares ou qualquer pessoa que transmita confiança para o indivíduo, é importante nesse momento. Caso haja uma demanda, procurar um psicólogo também auxilia na escuta, no suporte que a pessoa precisa para lidar com os sentimentos cotidianos.  

Use a nota do Enem  

Continue acompanhando o especial Vem Enem para conferir mais conteúdos sobre a prova de redação e as outras avaliações do exame.  

A Unifor preparou um ambiente especial para os alunos tirarem as principais dúvidas sobre o Enem. Por meio de cadastro no portal oficial do Vem Enem, os estudantes podem conferir apostilas, vídeos de professores, simulados e outros conteúdos para potencializar os resultados na prova, tudo de forma gratuita.  

Inclusive, o ingresso dos alunos na Unifor pode ser realizado com a nota obtida no Enem, o que facilita o acesso dos estudantes. Saiba mais em:    

Site: unifor.br/enem

Quero receber conteúdos exclusivos do EducaLab

Assuntos Relacionados