Festival Jazz & Blues chega à 21ª edição reforçando presença de mulheres nos palcos

Zélia Duncan emerge como uma das atrações principais do evento, que trará também o quinteto cearense Aqualtune e duo de irmãs de Minas Gerais, entre outros nomes

img1
Do Ceará, o Quinteto Aqualtune, criado para esta edição do evento, fará tributo a Joyce e João Donato Foto: Freddy Costa

É feito nascer de novo, mas com experiência já antiga, veterana: essa é a sensação de Maria Amélia Mamede ao observar a trajetória do Festival Jazz & Blues, do qual é idealizadora. “Estou bem feliz por tudo”, resume. Também pudera: o evento chega à 21ª edição abrindo as portas para mais uma década de encontros, atividades e fomento a gêneros musicais cada vez mais celebrados no Estado.

A folia instrumental acontece de 22 a 29 de fevereiro, com atrações locais, nacionais e internacionais. Além da diversidade de espaços de onde partem os músicos, vale também destacar a amplitude geográfica que a iniciativa ganha em 2020. Os tradicionais quatro dias de programação em Guaramiranga permanecem, de 22 a 25.

Antes disso, contudo, o minicurso “História do Jazz” acontece no Auditório do IFCE localizado no campus do município, com o músico e professor Edson Távora, abrindo caminhos para a fruição sonora.

Por sua vez, Aquiraz, no Litoral Leste, volta a ser rota da ação, com shows nos dias 22 e 23, enquanto Fortaleza sedia atividades de quinta a sábado, de 27 a 29, em equipamentos como o Cineteatro São Luiz e o Theatro José de Alencar. A novidade fica por conta da inclusão de Maracanaú no itinerário. O município da Região Metropolitana recebe uma oficina de música no dia 27.

“É bacana porque, com esse alcance, o festival vai estar presente na serra, na praia e em outros cenários”, festeja Maria Amélia.

Mas a abrangência não se restringe somente às paisagens. No time de artistas que subirão ao palco, as mulheres estão cada vez mais presentes, ecoando talentos num cenário ainda notadamente masculino.

A presença delas dá prosseguimento, inclusive, a um movimento reforçado já no ano passado pelo festival, onde brilharam nomes como Jesuton (UK/BR), Vivi Pozzebón (ARG), Mell Matos, Kátia Freitas, entre outros nomes.

img2
Zélia Duncan se une ao maestro Jaques Morelenbaum no show "Invento +" na Cidade Jazz & Blues Foto: Léo Aversa

Movimentos

Não à toa, uma das maiores atrações desta edição é a cantora e compositora carioca Zélia Duncan. Acompanhada do maestro Jaques Morelenbaum, ela realiza o show “Invento +” no dia 24, na Cidade Jazz & Blues.

A dupla interpreta canções de Milton Nascimento, unindo voz e violoncelo, emergindo em canções de amor, fé, esperança, de ser e de estar.

4
municípios receberão as atividades desta edição do Festival Jazz & Blues. Além de Guaramiranga, também Aquiraz, Fortaleza e Maracanaú vão sediar shows e oficinas, num movimento de eco de sons e saberes

Em entrevista ao Verso, a intérprete comemora o fato de se apresentar no festival. “A contramão é meu habitat, tô super feliz de ir pra um evento que tem essa fama. É a minha cara!”, diz. Zélia também antecipa detalhes de como é o show.

“É tudo muito delicado e extremamente musical. Tem tudo a ver com o que vocês vêm fazendo aí. Resistentes, interessados em música. Só pode ser lindo”, resume.

Na seara local, a cearense Bárbara Sena também festeja o fato de as mulheres estarem cada vez mais assumindo a dianteira na iniciativa.

Ela estará unida com outras quatro artistas da terra compondo o Quinteto Aqualtune, criado especialmente para esta edição, com a missão de fazer um tributo a Joyce e João Donato no show "Elas, o Brasil e o Jazz”. 

img3
Vinda da Bélgica, banda Black Flower apresenta repertório de seu terceiro álbum, “Future Flora” Foto: Jeroen Adriansens

“Eu acho isso bárbaro. Mostra uma preocupação do festival de despertar para a importância de valorizar o feminino, não apenas nas mulheres, mas em todos nós”, afirma. Com a musicista, estarão Luiza Nobel, Lu Basile, Mirele Alencar e Ayla Lemos

Além dessa formação, outro quinteto, Yamile Burich & Ladies Jazz, vem da Argentina para ecoar a mesma energia, ao passo que o Duo Mitre, formado por irmãs mineiras, e Lidia Maria, que apresenta repertório do segundo álbum, “Viva”, complementam a cena comandada por elas.

Outros destaques ficam por conta da presença de Trio Corrente, Nando Cordel, Trinca Brasília, Jorge Helder, Nonato Lima e Sérgio Groove, além de Felipe Cazaux, Cristiano Pinho e Black Flower, da Bélgica, entre muitos outros.

img4
Ao combinar jazz e música nordestina, o pernambucano Amaro Freitas Trio chega ao evento com grande expectativa Foto: Helder Tavares

Amaro Freitas Trio, que combina jazz com música nordestina, expressa o sentimento ao aportar na ação. “Conheço muito o pessoal da cena no Ceará, onde trocamos e tocamos. Vai ser muito bom estar de volta”. Que comece, então.

Serviço
21ª edição do Festival Jazz & Blues
De 22 a 29 de fevereiro, em Guaramiranga (22 a 25), Aquiraz (22 e 23), Fortaleza (27 a 29) e Maracanaú (dia 27). Exceto alguns shows, o restante da programação tem acesso gratuito. Contato: (85)3114-7878