No Carnaval 2019, profissionais cearenses colaboram com a União da Ilha do Governador

Artesãos, rendeiras e estilistas daqui produzem as peças que compõem o espetáculo visual da agremiação carioca

rendeira
Detalhe da produção de uma rendeira da Prainha, em Aquiraz, coordenada pelo estilista Ivanildo Nunes Foto: Helene Santos

Enquanto a produção segue a todo vapor no barracão da União da Ilha, no Rio de Janeiro, aqui no Ceará, profissionais também se dedicam à finalização de peças que vão compor desde os carros alegóricos até as fantasias dos brincantes da União da Ilha. O estilista Ivanildo Nunes e 18 artesãs da Prainha, Eusébio, de Jabuti e Penedo (Maranguape), com as quais ele trabalha, por exemplo, desenvolvem os trajes da Velha Guarda.

"Nunca fez parte dos meus planos o Carnaval no Rio de Janeiro, mas aceitei bem emocionado", conta Ivanildo. Ele foi procurado pelo carnavalesco Severo Luzardo no segundo semestre de 2018 e pôde escolher a ala para qual trabalharia.

A escolha pela Velha Guarda foi bem pensada: representa os guardiões da escola, a ala mais antiga", explica.

A ideia de Ivanildo é que as roupas sejam utilizadas no resto do ano, nos eventos de gala que reúnem a Velha Guarda de todas as agremiações, mensalmente, no Rio de Janeiro. O vestuário feminino foi todo desenhado pelo estilista e as 33 peças ainda estão em processo de confecção pelas rendeiras. Os bordados richelieu e cheio e a renda de bilro são as técnicas utilizadas pelas artesãs.

No caso das 34 roupas masculinas, o detalhe manual está na gola da blusa, toda confeccionada com a renda de bilro da Prainha. "O processo é demorado, mas já enviamos as roupas dos homens e até o dia 10 de fevereiro enviaremos as kaftans das mulheres", adianta.

Brincantes

Outro setor da União da Ilha comandada por um estilista com atuação no Ceará é a dos brincantes. "Fiquei responsável pela criação na ala em que as pessoas não compram fantasia", comenta o estilista Lindberg Fernandes. Tudo foi inspirado no trabalho do mestre da Cultura Espedito Seleiro, cujo detalhe ilustra a capa desta edição.

"A gente pegou os arabescos e transformou tudo em estampa digital, que vai para as peças. Ficou uma coisa mais contemporânea", contextualiza. A ala dos brincantes tem uma fantasia só, que será utilizada por, no mínimo, 150 brincantes.

Lindberg, Ivanildo e Espedito também desfilarão na União da Ilha. Os três virão no último carro da Escola, que homenageará a moda de nosso Estado. Assim como eles, um representante da Associação dos Fabricantes de Rede de Jaguaruana deve ir durante o Carnaval ao Rio de Janeiro.

De acordo com o presidente da Associação, Pinheiro Júnior, o carnavalesco Severo Luzardo encantou-se com algumas redes da cidade que estavam sendo vendidas na Avenida Beira Mar de Fortaleza no ano passado. Imediatamente, convidou-os para colaborar com a criação do desfile da União.

"Fornecemos material para decoração de um carro que será todo ornamentado com redes. Foram cerca de 50 peças, mas mandamos também outras 200 para eles fazerem sorteios nos ensaios e arrecadarem dinheiro", conta Pinheiro Júnior. "Algumas fantasias também foram confeccionadas com tecidos de redes coloridas, nos tons cítricos, como verde-limão, amarelo, laranja", diz.

rede
Em um dos carros alegóricos da União da Ilha, as redes emolduram os degraus de uma grande escadaria Foto: João Lima Neto

Tudo foi doação, como explica o presidente da Associação. Para eles, o marketing compensa. "É uma divulgação não só para gente, mas para todo setor de redes. A transmissão do Carnaval é mundial. A gente já trabalha com exportação, principalmente para a Europa. Agora vamos ser conhecidos pelo mundo todo e por meio de um investimento que não foi tão grande", avalia.

Elano Guilherme, presidente do Sindicato de Confecções, pensa da mesma forma. Foi ele quem convenceu o carnavalesco da União da Ilha de que ele encontraria aqui um material fértil para o Carnaval 2019. E realmente encontrou.

"Eu acho que a gente começa a ser enxergado no Brasil e no mundo. A mensagem final é de que a moda do Ceará está saindo daqui e rompendo fronteiras. Nosso grande desafio é dar visibilidade a esse setor e vamos conseguir com esse desfile", conclui Elano.