Espetáculo "Descaso", da Cia de Dança de Itapajé, ajusta foco sobre realidades de abandono

Ao completar seis anos de atuação no cenário artístico cearense, grupo traz, em seu principal trabalho, uma reflexão sobre esses tempos sombrios

img1
Inspirado em poema, "Descaso" investiga, no palco, nuances da negligência Foto: Davi Leão

A negligência veste terno, gravata e arrota alto a disseminar inverdades. Missão difícil contornar o incômodo, mas, em tempos sombrios, é cada vez mais necessário encará-lo de frente, trazendo-o à tona para expor, denunciar e, sempre e muito, agir.

A Cia de Dança de Itapajé compreende bem essa premissa ao ocupar o tablado com o espetáculo "Descaso". Surgida a partir da poesia do cantor e compositor Gabriel, O Pensador, intitulada "Que tiro foi esse?" - alusão à música homônima da funkeira Jojo Todynho, contudo, diferentemente daquela, lembrando crianças vítimas da violência no Rio de Janeiro - a peça investiga a cidade, as pessoas e o caos a partir do abandono vivenciado pela sociedade, fruto da indiferença do poder público.

"O espetáculo nasceu de uma inquietação minha e do coreógrafo Filipe Evans com as coisas que estamos presenciando na contemporaneidade", afirma Cléber Alves, idealizador do grupo à frente da montagem e diretor geral do trabalho.

Assim, segundo ele, "Descaso" abarca desde a falta de apoio aos artistas do interior, de forma específica, a casos de violência contra a mulher. Tudo muito atual, pertinente e, infelizmente, mordaz.

A apresentação acontece amanhã (16), às 19h, no Cuca Mondubim, com entrada franca, após passagem pelo Centro Cultural Bom Jardim (CCBJ) e o Cuca Barra.

img3
Vestidos de terno e gravata, bailarinos realizam dança cujo movimento se põe entre corpo e denúncia Foto: Davi Leão

Alcance

No total, oito bailarinos integram o espetáculo, primando por uma concepção coreográfica que atua como um dispositivo entre corpo e denúncia. O resultado é complexo: transita entre o sublime e o violento, o brusco e o sensível, fomentando a busca por um olhar crítico sobre a sociedade.

Conforme Cléber, "não adianta irmos para o palco mostrar apenas a beleza técnica, o virtuosismo. Temos que ir para protestar, gritar e se reafirmar como artista no lugar em que a gente mora".

No fim das contas, é a melhor forma de comemorar os seis anos da Cia de Dança de Itapajé, completos exatamente hoje: com a sabedoria de ser quem é e potência para inspirar mais.

Serviço
Espetáculo “Descaso”, da Cia de Dança de Itapajé
Neste sábado (16), às 19h, no Cuca Mondubim (R. Marlúcia, s/n - Mondubim). Livre. Entrada gratuita. Contato: (85) 3499-0018