Suspeita de conflito de interesse dá munição a ala contrária a chefe da Secom de Bolsonaro

Na semana passada, o jornal revelou que Wajngarten é sócio da FW Comunicação, que recebe dinheiro de emissoras de TV (como Record e Band) e agências contratadas pela pasta, ministérios e estatais do governo Bolsonaro