Por 6 votos a 5, STF proíbe prisão após condenação em 2ª instância

A decisão abre caminho para liberar cerca de 5.000 réus, segundo o CNJ, entre eles o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso em Curitiba desde abril de 2018