Moro: se há maioria no Congresso para 2ª instância, não há sentido em postergar

O ministro defendeu que as duas propostas - tanto uma proposta mexendo na Constituição Federal quanto um projeto alterando o Código de Processo Penal para autorizar a prisão em segunda instância - possam ser votadas paralelamente