Governo ignora críticas e nomeia pastor evangélico para cuidar de índios isolados

Em nota, a Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab) argumentou que o País estará sujeito a "crimes de genocídio e etnocídio que serão cometidos contra os nossos parentes isolados