Ministros avaliam pressão sobre julgamento da 2ª instância

O entendimento é de que cobranças externas não influenciarão a Corte