Polícia apura se miliciano morto mantinha uma 'rede de proteção'

Adriano da Nóbrega era investigado por supostamente chefiar a milícia Escritório do Crime, que explora comunidades pobres, promove extorsões e comete homicídios por encomenda, entre outros delitos