Julgamento de prisão após 2ª instância pode afetar 4.895 presos, esclarece CNJ

O número inclui também o universo de prisões cautelares aplicadas em sentença de primeiro grau ou mesmo em segunda instância, o que não está em julgamento nas referidas ADCs (as ações declaratórias de constitucionalidade que serão julgadas pelo STF)