Formas de tratamentos deixam de ser obrigatórias no serviço público

De acordo com o decreto, “o único pronome de tratamento utilizado na comunicação com agentes públicos federais é "senhor", independentemente do nível hierárquico"