Doença letal, febre hemorrágica faz São Paulo monitorar 100 pessoas

Apesar da cautela, tanto o Ministério da Saúde quanto a Secretaria da Saúde de São Paulo afirmam que o risco de transmissão é baixo para a população em geral e que não deve haver pânico