Editorial: Dialogar é fundamental