'Não podemos ficar esperando dinheiro do governo', diz presidente do INB

A INB hoje importa urânio concentrado e enriquecido e já comprou os produtos de países como Rússia, Canadá e Casaquistão